ads

Vem ver o amor do Criador! - parte 5

As idéias dos gregos duraram até a Idade Média, sendo que a esfera etérea foi substituída pela esfera de Deus por Tomás de Aquino no século XIII. Ele afirmou que a teologia cristã estava implícita no mundo grego.



A idéia das esferas fixas e universo geocêntrico coincide com a idéia dos judeus sobre o céu:
  • o primeiro céu é o firmamento, a nossa atmosfera;

  • o segundo céu é o céu dos planetas e estrelas, do Sol e da Lua;

  • o terceiro céu é o céu de Deus e de Seus anjos.



Giordano Bruno (1548-1600) foi uma voz contrária para a época, Um dos pontos chaves de sua teoria é a cosmologia, segundo a qual o universo seria infinito, povoado por milhares de sistemas solares, e interligado com outros planetas contendo vida inteligente. Para esta perspectiva bebeu na fonte de Nicolau da Cusa, Copérnico e também de Giovanni Della Porta.
Bruno teria abraçado a teoria de Copérnico porque ela se encaixava bem na idéia egípcia de um universo centrado no Sol.

Deus seria a força criadora perfeita que forma o mundo e que seria imanente a ele. Bruno coaduna com os poderes humanos extraordinários, mas enfrentou abertamente a igreja católica e seus preceitos. Fonte do texto e da imagem: wikipedia.
Morreu queimado na fogueira, não por defender o heliocentrismo, mas sim, pelas heresias a respeito de Deus.
Conclusão dos "cientistas" da Idade Média: O Universo é finito e geocêntrico e apresenta esferas que circundam a Terra. A última esfera era o ambiente celestial, de Deus e seus anjos.

Postar um comentário

0 Comentários