Pesquise em mais de 1800 postagens!

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Povo Warain, Bérberes do Marrocos


O nome vem de um bérbere nome árabe para o povo aborígene oeste e sul do Egito. Contrariamente à imagem romântica popular que retrata berberes como povo nômade que cruzam o deserto em camelos, a sua principal atividade é a agricultura sedentária. Atualmente, além dos meios tradicionais de vida, há um novo elemento que faz parte da economia da família berbere, os rendimentos do grande número de imigrantes na Europa, especialmente na França.

Obstáculos ao Ministério
Marrocos está fechado para os missionários cristãos. Abordagens criativas para ministrar para os bérberes são obrigatórios.

Ideias ao Ministério
Rádio e músicas evangélicas, e o filme "Jesus" já estão disponíveis na língua dos berberes. Literatura evangélica e a Escritura são frequentemente disponibilizados no cais do sul da Europa, já que berberes que trabalham na Europa passam por lá para ir para casa de férias.

Ore Pelos Seguidores de Cristo
Se há, são alguns os crentes entre os bérberes Warain, mas ore por aqueles que em breve tornar-se-ão cristãos. Ore para que Cristo possa habitar em seus corações através da fé.

Ore Por todo grupo de Pessoas
Ore para que os bérberes, majoritariamente cristão antes do século VII, uma vez mais reconheçam e sigam a Cristo, o Salvador.

Foco Escritura
"O sétimo anjo tocou a trombeta, e houve no céu grandes vozes, dizendo: O reino do mundo se tornou de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará pelos séculos dos séculos." Apocalipse 11.15


Grupo Étnico:Berber, Warain
País:Marrocos
Janela 10/40:Sim
População Nacional:290,000
População Mundial:290,000
Idioma:Tamazight, Central Atlas
Religião Principal:Islã
Bíblia:Porções
Áudio NT - Internet:Não
Flime Jesus:Sim
Áudio gravação:Sim
Cristãos:Poucos, menos de 2%
Situação:Não-Alcançados
Escala de Progresso:
1.1


Informações fornecidas pelo email diário do Projeto Josué.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Povo Aweer do Quênia

 Aweer do Quênia
O Boni é um grupo remanescente de caçadores-coletores vivendo ao longo da costa do Quênia no distrito de Lamu no continente. Nos últimos 30 anos, o Boni enfrentou momentos muito difíceis. Em 1967, sua terra natal se tornou um campo de batalha na guerra entre o Quênia e a Somália. No Quênia, hoje, eles são um grupo vulnerável, que luta para sobreviver, em busca de uma nova identidade. Tradicionalmente, eles dependem de seus antepassados para a liderança e normalmente não se reunem para discussão na vila. Há alguns homens que tem mais de uma esposa, e cada mulher tem sua própria casa ondevive com seus filhos. O marido não tem sua própria casa, mas vive com cada mulher periodicamente.
Obstáculos ao Ministério
No passado, a tribo Boni demonstrou desinteresse em seguir a Cristo, mas recentemente têm sido mais abertos. Ore por interesse crescente.
Idéias ao Ministério
Ore para que nasça nos cristãos quenianos o desejo de ministrar o evangelho para a tribo Boni, superando as hostilidades tribais que eles possam sentir. Ore para que sejam supridas as necessidades financeiras que possam surgir no caminho.
Ore Pelos Seguidores de Cristo
Ore pelos poucos seguidores de Jesus entre o povo Boni, no Quênia; que sejam enviados mestres a eles para ajudá-los a crescer em Cristo. Ore para que entendam o Evangelho da graça de forma precisa, não misturando-o com as exigências das obras. Ore para que sejam obedientes em seguir aos ensinamentos e mandamentos de Cristo, em resposta à graça oferecida por Ele.
Ore Por todo grupo de Pessoas
Ore para que seja dado ao povo Boni um desejo de conhecer Jesus Cristo. Ore para que eles desejem aprender mais sobre esse Homem e seguir os Seus caminhos.
Foco Escritura
"Lembrar-se-ão do SENHOR e a ele se converterão os confins da terra; perante ele se prostrarão todas as famílias das nações." Salmos 22.27

Grupo Étnico:Aweer
País:Quênia
Janela 10/40:Não
População Nacional:8,000
População Mundial:8,200
Idioma:Aweer
Religião Principal:Islã
Bíblia:Nenhum
Áudio NT - Internet:Não
Flime Jesus:Não
Áudio gravação:Sim
Cristãos:Poucos, menos de 2%
Situação:Não-Alcançados
Escala de Progresso:
1.2



Informações fornecidas pelo email diário do Projeto Josué.

Povo de fala Gtsang do Tibet, China



Tibetan, Gtsang da China
Gtsang é um dialeto tibetano, falado em uma vasta área perto da fronteira do Tibete com o Nepal. Os tibetanos gtsang fazem parte da nacionalidade tibetana, mas eles falam uma lingual apenas parcialmente inteligível com outras variedades tibetano. O capitão O'Conner, o agente comercial britânico em Gyantse no início de 1900, descreveu os tibetanos gtsang como "supersticiosos de fato até o último grau, mas desprovidos de convicções religiosas profundas ou de introspecção." Hoje, há apenas um punhado de cristãos gtsang tibetano.
Obstáculos ao Ministério
A região geograficamente tibetana é difícil de entrar, e os budistas tibetanos têm uma longa história de desinteresse no Evangelho de Cristo.
Idéias ao Ministério
Talvez os seguidores de Jesus indianos que vivem em áreas tribais do nordeste da Índia encontrem o caminho para o norte para os povos do Tibete. Orem pelas finanças de que necessitam, e pela visão de fazer isso.
Ore Pelos Seguidores de Cristo
Ore pelo punhado de cristãos Gtsang Tibetan, que eles tenham fome de conhecer e seguir verdadeiramente a Cristo. Ore para que vivam vidas santas e alegres, e que sejam testemunhas fiéis para sua família e seus amigos. Ore por corações missionários.
Ore Por todo grupo de Pessoas
Ore para que os tibetanos gTsang desejem cada vez mais encontrar o perdão para o pecado, e para que os mensageiros anunciem que este perdão já foi concedido.
Foco Escritura
"Alegrem-se os céus, e a terra exulte; diga-se entre as nações: Reina o SENHOR." 1 Crônicas 16.31
Grupo Étnico:Tibetan, Gtsang
País:China
Janela 10/40:Sim
População Nacional:689,000
População Mundial:754,000
Idioma:Tibetan, Central
Religião Principal:Budismo
Bíblia:Completa
Áudio NT - Internet:Não
Flime Jesus:Sim
Áudio gravação:Sim
Cristãos:Poucos, menos de 2%
Situação:Não-Alcançados
Escala de Progresso:
1.1



Informações fornecidas pelo email diário do Projeto Josué.

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Povo Lohana da Índia



Lohana da Índia
Uma das comunidades dominante de Gujarat, o Lohana migraram de Lohargaadh (agora no Paquistão), alguns séculos atrás. Eles são deuses hindus e adoram deuses como Shankar e Srinath, além das suas crenças familiares e divindades do clã. Eles contratam sacerdotes bramanes para realizar seus rituais e funções religiosas. O Conselho Comunitário cuida de seu bem-estar, e prevê assistência financeira aos pobres e aos alunos merecedores de educação.
Obstáculos ao Ministério
A comunidade Lohana não teve quase nenhuma oportunidade de ouvir de Jesus. Existe muita coisa que deve ser comunicada a eles.
Idéias ao Ministério
Os Cristãos Indianos podem vencer as barreiras das castas e levar as boas novas de Jesus à comunidade Lohana. Oremos para que o Senhor dê visão e oportunidades a muitos trabalhadores.
Ore Pelos Seguidores de Cristo
Talvez não há seguidores de Jesus entre os Lohana hoje, mas ore por aqueles que em breve virão. Ore para que mestres sejam enviados a eles para ajudá-los; também ore por recursos, como filmes do Evangelho e gravações. Ore para que sejam zelosos em seguir a Cristo.
Ore Por todo grupo de Pessoas
Ore para que a comunidade Lohana continue a fazer da educação uma prioridade para sua juventude. Ore para que toda a comunidade possa manter um padrão de vida razoável, e para que as viúva e os órfãos sejam assistidos.
Foco Escritura
"Não dizeis vós que ainda há quatro meses até à ceifa? Eu, porém, vos digo: erguei os olhos e vede os campos, pois já branquejam para a ceifa." João 4.35


Grupo Étnico:Lohana
País:Índia
Janela 10/40:Sim
População Nacional:541,000
População Mundial:541,000
Idioma:Gujarati
Religião Principal:Hinduísmo
Bíblia:Completa
Áudio NT - Internet:Sim
Flime Jesus:Sim
Áudio gravação:Sim
Cristãos:Poucos, menos de 2%
Situação:Não-Alcançados
Escala de Progresso:
1.1

Informações fornecidas pelo email diário do Projeto Josué.

Aspectos da Missão Urbana na Europa - Robert Calvert


Você sabia que as cidades históricas da Europa são apenas três por cento da massa terrestre do mundo, e poderia caber dentro África do Sul? No entanto, as cidades europeias tiveram uma influência desproporcionalmente grande sobre o resto do mundo, tanto através da história urbana e identidade cristã.

História urbana
Harvie Conn diz que duas das quatro grandes "ondas urbanas" começou na Europa. Na segunda onda urbana das cidades comerciais e feudais do século XI, cidades muradas da Europa deram proteção aos seus cidadãos e comércio habilitado que conquistou o mundo. Na quarta onda de hoje de cidades globais, grandes áreas metropolitanas da Europa, como Londres, Paris e Berlim estão ligadas. Rotterdam liga-se a Randstad dos Países Baixos e para a Rhine-Ruhr, na Alemanha. Há corredores urbanos entre Londres e Frankfurt e entre Milão e Barcelona. Grande número de empresas multinacionais, bancos e organizações  da Europa sugerem que ele ainda é um continente de influência, se não de inspiração.

A identidade cristã
Pontos cruciais do desenvolvimento da igreja histórica ocorreram na Europa. Pense no cristianismo celta, nos movimentos missionários monásticos, da Reforma e da Conferência Missionária Mundial em 1910, e hoje nas redes de plantação de igrejas, a migração de novos cristãos e igrejas emergentes.

Hoje, a Europa é composta de cerca de 50 Estados soberanos (principalmente repúblicas democráticas), cada um com suas próprias histórias, culturas, línguas e um vasto leque de tradições cristãs. Europa Ocidental (protestante / misto) é diferente do sul da Europa (tradicionalmente católico romano), a Europa nórdica (Luterana), Europa Oriental (Ortodoxa) e Europa Central (principalmente ateu). Através dos cristãos migrantes, o pentecostalismo está em toda parte. Os contornos do mapa da fé na Europa deve ser redesenhado.

Compreendendo o ministério urbano
As cidades de hoje são uma constelação deslumbrante de culturas globais, um caleidoscópio que se assemelha a um atlas mundial. Nos centros urbanos da Europa de hoje, encontramos todo o mundo. Há mais ministério cristão acontecendo neles do que costumamos dar crédito, variando entre servir as pessoas com dor, desenvolvimento de liderança e a transformação da comunidade, para a renovação da igreja e multiplicação.

Eu acredito que:
Cristo já está presente no mundo urbano. Nós não levamos Cristo para a cidade. Cidades tiveram a sua quota de líderes com complexos de Messias. Em locais escuros é que a presença de Deus está.
Igreja é o agente da missão de Deus na cidade. Deus não desistiu de seu povo, mesmo as igrejas locais ou missões, novas formas ou velhas, parceiros europeus ou Africanos / asiáticos.
As cidades são mais um presente do que um problema. A cidade é um dom da graça. A igreja é muitas vezes doente e insalubre, mas onde há ferida há o envolvimento da dor com a esperança de renovação.
As cidades são extraordinariamente bem-sucedidas e extremamente destrutivas. Recente livro de David Harvey contém a frase "Cidades rebelde", que é uma crítica marxista do urbanismo, e embora secular, tem mais zelo por um mundo urbano saudável do que muitas igrejas.

Embora a Europa seja o lar de um grande número de cristãos, nós não pensamos espiritualmente sobre as cidades, ora nos culpando pelo que está errado com o mundo, ora tendo uma visão brilhante que ignora o seu lado mais escuro. Crítica de Harvey, baseado na obra do sociólogo Robert Park, é que as cidades estão sob o controle de produtores de riqueza que deixa as massas de pessoas despossuídas a qualquer direito à cidade. O poder é mantido nas mãos de pequenas elites políticas e econômicas que moldam a cidade depois de suas próprias necessidades e desejos do coração.

Missão urbana precisa de uma crítica semelhante, mas biblicamente informada se não é para ser condenada à por esparadrapos nas feridas do partido na cidade. Que os cristãos creiam na Bíblia e sejam cada vez mais conscientes de que o Evangelho não é apenas sobre o pecado pessoal e salvação individual, que deixem de ser lentos para reconhecer o pecado público e espiritualidade corporativa.

Lausanne III afirmou que não é uma missão para o mercado local. Recentemente o Dr. Chris Wright falou sobre os compromissos de Lausanne III, na Holanda, e concluiu com a comissão missão urbana. Jeremias 29:7 diz: "Buscai a paz e prosperidade (shalom) da cidade para que eu carrego você para o exílio. Ore ao Senhor por isso, porque se ela prosperar, você também vai prosperar. Eu nunca ouvi um líder europeu evangélico falar assim antes. Então pode mudar nossas igrejas e os povos e as cidades?" Este é o Evangelho.

O Evangelho redime pessoas
Todos os homens são criados à semelhança de Deus, e todos eles precisam de fé e vida. Buscamos profunda mudança. "Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente." (Romanos 12:2) O Evangelho não é anti-urbana, mas é transformador de pessoas e mundos. Ministério urbano serve e cura, ora e perdoa, prega e ensina, treina e capacita., Atingindo as massas de pessoas que os outros (incluindo marxistas) não podem alcançar.

O Evangelho redime cidades
Deus cuidou de Nínive mais do que Jonas. Jesus chorou sobre Jerusalém. O que são cidades, mas criou instituições e ambientes humanos? O bispo da Igreja da Inglaterra falou recentemente de seu doutorado, intitulado: "As empresas podem pecar?" Você pode adivinhar a resposta!

Todas as estruturas humanas são responsáveis ​​perante Deus e precisamos chamar os departamentos da cidade de serviços humanos para servir as pessoas a que estavam destinadas. Temos de enfrentar os principados e potestades através da oração e ação. A cidade anseia por instituições humanas e um ambiente urbano que é liberado para servir. "A própria criação será redimida do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus." (Romanos 8:12) Visto que Cristo venceu Satanás, podemos enfrentar e chamar essas estruturas para o seu verdadeiro propósito.

Referências:
1. Harvie M. Conn e Manuel Ortiz, Urban Ministério, Downers Grove, IVP, 2001, 33-79.
2. David Harvey, Cidades Rebel, Londres, Verso, 2012.
3. A urbanização é sobre a densidade de pessoas enquanto que o urbanismo é sobre os valores da cidade. A urbanização tem reduzido espaço, mas urbanismo o recriou. Urbanização condensou espaço, mas urbanismo transmitiu isso em todo o mundo.
4. "Em 2010, 73% dos europeus vivem em zonas urbanas. 72% dos habitantes urbanos aderir ao cristianismo. 49% dos maiores 50 áreas europeus têm maiorias cristãs ". Todd M. Johnson, Kenneth R. Ross, eds., Atlas da Global cristianismo, Centro de Estudos da Global cristianismo, da Universidade de Edimburgo, 2009, 248.

Robert Calvert é ministro da Escócia, Igreja Internacional de Rotterdam, com mais de 40 nacionalidades. Durante esta década  ele tem coordenado uma rede europeia para profissionais de ministério urbano. Robert organiza consultas e trilhas, supervisiona estágios de estudantes e ensina sobre o ministério urbano.

Artigo sugerido por Justin Long em seu email semanal de prospecção da WEB.

Já publiquei outro artigo de Robert Calvert:
http://missoeseadoracao.net/2010/10/secularidade-dogma-encontra-diversidade.html

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Povo Ahar da Índia

Ahar da Índia
Ahar é uma sub-casta da casta dominante shudra na Índia. Ahar geralmente são as pessoas que possuem a maior parte das terras nas áreas onde vivem. Ahar não consideram o trabalho servil como uma profissão e são assim classificados acima do Shudras, outros na hierarquia de castas ritual. O casamento de pessoas nesta comunidade é restrita a subcastas shudra outros. Ahar se consideram brãmane mas o brãmane real, não gostam de se misturar com eles. Eles são hindus pela fé e adoram Narsingdeo, as divindade famíliares e Ganwat, a divindade da vila.
Obstáculos ao Ministério
Comunidades de castas elevadas podem sentir menos necessidade de um Salvador que os outros. Jesus disse que é difícil para o rico entrar no reino dos céus.
Idéias ao Ministério
Os cristãos indianos de origens em alta casta podem achar mais facilmente construir relacionamentos com a comunidade Ahar. Muita oração será necessária para preparar os corações.
Ore Pelos Seguidores de Cristo
Pode ser que não há absolutamente ninguém na comunidade Ahar que conhecer a Cristo como Salvador no presente. Mas ore por aqueles que em breve o Senhor chamará. Ore para que sejam capazes de compreender quão largo, alto e profundo é o amor de Cristo. Ore por Escrituras, tanto impressas como gravadas, assim como por outros materiais que os ajudem a consolidar-se na fé.
Ore Por todo grupo de Pessoas
Ore para que a casta Ahar não se satisfaça com a justiça alcançada pelas obras. Ore para que eles conscientizem-se da necessidade de perdão dos pecados e do poder que emana de Deus. Ore por corações ansiosos por Cristo.
Foco Escritura
"para que todos os povos da terra saibam que o SENHOR é Deus e que não há outro." 1 Reis 8.60

Grupo Étnico:Ahar
País:Índia
Janela 10/40:Sim
População Nacional:1,488,000
População Mundial:1,493,000
Idioma:Hindi
Religião Principal:Hinduísmo
Bíblia:Completa
Áudio NT - Internet:Sim
Flime Jesus:Sim
Áudio gravação:Sim
Cristãos:Poucos, menos de 2%
Situação:Não-Alcançados
Escala de Progresso:
1.1




Informações fornecidas pelo email diário do Projeto Josué.

Prático nos cursos de Discipulado e Missões

Como vocês já devem estar sabendo, minha filha está e Santa Helena de Minas, norte de Minas Gerais realizando o Prático de 30 dias pelo CTD, Centro de Treinamento e Discipulado.


Abaixo, adiciono as fotos dos primeiros dias de trabalho. Elas foram postadas no Facebook pela Pra. Roseane, esposa do Pr. Luís, eles são os pastores da Igreja Batista do Caminho da cidade que está hospedando o pessoal do prático.



O que se faz no prático? Evangelismo e Discipulado!

domingo, 25 de novembro de 2012

Povo Bhar da Índia


Bhar da Índia
Muitos séculos atrás, a comunidade Bhar foi deposta pela invasão de Rajput e muçulmanos. Sua luta com os invasores muçulmanos e Rajput continuou por cerca de duzentos anos, no final do qual Ibrahim Shah Waarli de Uttar Pradesh matou o governante Bhar passado. Casamentos de crianças são predominantes, porém, a tendência para o casamento de adultos está aumentando. A agricultura é a principal ocupação da Bhar, e eles geralmente trabalham como operários em campos de propriedade de muçulmanos, Thakur e Ahir. Eles são divindades hindus e adoraçã o assim como Deeh Baba e Baba Burhao
Obstáculos ao Ministério
A cultura Bhar adora os espíritos das coisas criadas, e não o Deus Criador. Precisam distinguir entre o que é criado, e Aquele que o criou.
Idéias ao Ministério
Há muitos e bons recursos disponíveis na língua de origem do povo Bhar para alcançá-los, mas trabalhadores são necessários. Ore por trabalhadores para a colheita, que está amadurecendo.
Ore Pelos Seguidores de Cristo
Talvez não há seguidores de Cristo na comunidade Bhar hoje, mas ore pelos que em breve depositarão sua confiança em Cristo. Eles precisarão de suporte em oração. Ore para que aprendam a falar uns com os outros com salmos, hinos e cânticos espirituais. Ore para que tenham acesso às Escrituras impressas e gravadas.
Ore Por todo grupo de Pessoas
Ore para cada indivíduo da comunidade Bhar ter, no mínimo, uma oportunidade de ouvir de Jesus com precisão, em sua língua materna. Ore também para que os Bhar façam da educação uma prioridade para os seus filhos, e para que escolas boas seja disponibilizadas.
Foco Escritura
"Os que forem sábios, pois, resplandecerão como o fulgor do firmamento; e os que a muitos conduzirem à justiça, como as estrelas, sempre e eternamente." Daniel 12.3


Grupo Étnico:Bhar
País:Índia
Janela 10/40:Sim
População Nacional:1,997,000
População Mundial:2,004,000
Idioma:Bhojpuri
Religião Principal:Hinduísmo
Bíblia:Novo Testamento
Áudio NT - Internet:Sim
Flime Jesus:Sim
Áudio gravação:Sim
Cristãos:Poucos, menos de 2%
Situação:Não-Alcançados
Escala de Progresso:
1.1

Informações fornecidas pelo email diário do Projeto Josué.



sábado, 24 de novembro de 2012

Missionários entre os índios no Paraguai

Missionários Ricardo e Lúcia pelo SEMIPA - Semeadores de Missionários com Paixão pelas Almas publicam sua carta divulgação de Novembro. Acompanhe:
CARTA NOVEMBRO Ricardo e Lúcia

No Facebook você pode acompanhá-los mais de perto.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Viagem ao campo


Você conhece estes passos?
  • Converter-se ao Evangelho;
  • Ser discipulado no início da caminhada cristã;
  • Santificar-se;
  • Ouvir o chamado geral de testemunhar;
  • Trabalhar na igreja local;
  • Ouvir de Deus o chamado especial de testemunhar além;
  • Estudar e preparar-se;
  • Confirmar seu chamado especial de testemunhar além;
  • Confirmar seu local especial;
  • Estudar sobre seu local;
  • Compartilhar seus sonhos com outros;
  • Receber apoio de mantenedores e intercessores;
  • Receber discipulado especial em nível de liderança;
  • Ser enviado em um culto especial;
  • E.....????

E o que mais?

Fácil, ir para esse local especial! Viajar!!

Minha filha não é uma missionária. Apenas uma aluna do Centro de Treinamento Cristão, o CTC localizado no Recanto SAL em Nova Odessa-SP. Entre os vários cursos do CTC, minha filha Camila faz o CTD - Curso de Treinamento e Discipulado.

Depois de quatro meses de preparação, ela e seus colegas de curso ficarão 30 dias colocando em prática o que aprenderam, chamado de Prático.

Sairão para o Campo! Viajarão.

Uma parte da turma ficará 20 dias na cidade de Rio Pardo de Minas. A turma de minha filha ficará em Santa Helena de Minas. Depois, as duas equipes ficarão juntas 10 dias na cidade de Araçuai, para uma ação chamada de Impacto.

A saída para o campo missionário foi ontem, 10 de novembro. Acompanhe as fotos na Rodoviária de Americana-SP:


Culto de Envio Missionário


Está baseado no texto de Atos 13:1-4, acompanhe:

"Havia na igreja de Antioquia profetas e mestres: Barnabé, Simeão, por sobrenome Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, colaço de Herodes, o tetrarca, e Saulo. E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: Separai-me, agora, Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado. Então, jejuando, e orando, e impondo sobre eles as mãos, os despediram. Enviados, pois, pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre".

Observe:
1) Igreja havia pessoas com talento dado por Deus (de profecia e ensino);
2) Havia gente simples (como Barnabé) e gente de nobre nascimento (Manaém, irmão de leite de Herodes);
3) Todos trabalhavam para o Senhor na igreja local;
4) Todos jejuaram;
5) Espírito Santo revelou a vontade dEle;
6) Dentre os que trabalhavam, Saulo e Barnabé , ou melhor, Barnabé e Saulo foram escolhidos especialmente para uma obra extra igreja local (fora da igreja);
7) Jejuaram mais ainda depois disso;
8) Oraram mais ainda depois disso;
9) Impuseram as mãos (respaldo de autoridade e de compromisso mútuo);
10) Eles foram, saíram, viajaram;
11) A igreja ou o Espírito foram os responsáveis pelo envio? Ambos!
12) Tinham um plano! Não saíram aleatoriamente!

E hoje em dia, como é?

Igualzinho!

A igreja se reúne, chama à frente aqueles que serão enviados. Expõe-se o acordo entre as partes: Explica-se o que os enviados farão, as responsabilidades. Explica-se também o que a igreja que está enviando fará, qual a responsabilidade dela.
Os parentes dos enviados são chamados para abençoar, assim como seus líderes e aliançados. Os enviados se ajoelham e recebem a oração de envio da igreja.

Este é o resumo de um culto de envio. Na verdade, é bem profundo, maravilhoso!

Foi exatamente isto que aconteceu com minha filha e seus colegas do CTD no domingo 18 de novembro. Foram enviados, não como missionários, mas sim, como alunos do prático, na verdade, a parte prática do curso de treinamento e discipulado. 

A Camila ficará 30 dias em Santa Helena de Minas e Araçuai, no norte de Minas Gerais. Lá, praticarão aquilo que aprenderam: amar as pessoas! Amar significa explicar o Evangelho, ensinar o Evangelho, praticar o Evangelho, viver o Evangelho.

Ela aceitou o compromisso de não ganhar muitas vidas! Aceitou o compromisso de cuidar de vidas! Discipulado! Esta é a palavra exata!

Jesus não nos mandou ganhar almas! Evangelizar é pouco! O correto é discipular! Ser pai na fé de alguém é pouco! Ser discipulador é mais!

Ela e a equipe discipularão pessoas neste tempo, depois, o pastor local fará o pastoreio. 

Meu compromisso: sustentá-la! De apoiar, de orar e dizer vai!

Vai para onde?! Vai rumo aos sonhos com Deus partilhados! (Lembra-se da música?).

Uma benção! Orem pela minha filha e seus amigos!


Culto de Apresentação do CTD


Culto de ação de graças a Deus pelos alunos do CTD (Curso de Treinamento e Discipulado) do CTC (Centro de Treinamento Cristão) na Igreja Batista do Caminho Vila Jones Americana-Sp, dos pastores Hugo e Silvani Konno.

Aconteceu no domingo, 11 de novembro. A segunda turma de 2012 apresentou as danças e atividades circenses que farão durante o prático nas ruas das cidades de Rio Pardo de Minas, Santa Helena de Minas e Araçuai, além do povo indígena Waxakali.

Uma benção. Minha filha estava lá! Se movendo e direção ao centro da vontade de Deus.

A dança e a arte circense não convence ninguém do pecado, da justiça e do juízo. Claro que não. Estas ações não convencem ninguém?

Elas apenas atraem! Chamam a atenção. Fazem a pessoa parar para pensar. Jovens e adultos são atraídos e acabam por ficar ouvindo. Ouvem o testemunho, a leitura da Palavra, o chamado de Deus, o convite de Jesus e a ação do Espírito Santo.

Muitos se convertem ou pelo menos assim se declaram. Contudo, o maravilhoso é que o objetivo deles não ganhar multidões!

Não, não é isso!

O objetivo é cuidar de vidas! É discipular pessoas, transmitir o caráter de Jesus nelas. É ficar todo dia com elas, ensinar, pregar, orar, libertar, prepará-las para o batismo e encaminhá-las para a nossa igreja naqueles lugares.

Jesus não mandou somente ganhar almas! MAS SIM, discipulá-las.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Considerai Atentamente Jesus - Nancy Leigh DeMoss


Duas vezes, no livro de Hebreus, somos exortados a considerar, contemplar, examinar atentamente o exemplo de Jesus:

Hebreus 3:1 - "Por isso, santos irmãos, que participais da vocação celestial, considerai atentamente o Apóstolo e Sumo Sacerdote da nossa confissão, Jesus,"

Hebreus 12:3 - "Considerai, pois, atentamente, aquele que suportou tamanha oposição dos pecadores contra si mesmo, para que não vos fatigueis, desmaiando em vossa alma".

Observe abaixo alguns fatos importantes na vida de Jesus, estude e medite nas referências:

1. Antes da criação, Jesus estava com o Pai como o Verbo, em perfeita união. (Jo 1.1,2 - "No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus.").

2. Na criação, Jesus concordou com o Pai e cooperou com ele em perfeita harmonia. "Façamos o homem..." (Gn 1.26 - "Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra."). Veja também:

  • João 1.3,10 - "Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e, sem ele, nada do que foi feito se fez... O Verbo estava no mundo, o mundo foi feito por intermédio dele, mas o mundo não o conheceu."; 
  • Hebreus 1.2 - "nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo."; 
  • Colossenses 1.16 - "pois, nele, foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele."; 
  • Provérbios 8.29,30 - "quando fixava ao mar o seu limite, para que as águas não traspassassem os seus limites; quando compunha os fundamentos da terra; então, eu estava com ele e era seu arquiteto, dia após dia, eu era as suas delícias, folgando perante ele em todo o tempo;". Observe especialmente a descrição em Provérbios 8 da alegria que Jesus, representado pela Sabedoria, tinha durante o projeto da criação junto com o Pai.

3. Na encarnação, Jesus veio ao mundo, não para desenvolver um projeto próprio, mas para fazer a vontade do Pai;
  • João 6.38 - "Porque eu desci do céu não para fazer a minha própria vontade....";
  • Hebreus 10.7 - "Eis aqui estou... para fazer, ó Deus, a tua vontade";
Ele estava dizendo: "Não tenho agenda própria. Não tenho planos. Não estou dirigindo minha própria vida. Vim para fazer a vontade daquele que me enviou. É por isto que estou aqui."

4. Como filho, era submisso aos pais (Lc 2.51 - "E desceu com eles para Nazaré; e era-lhes submisso. Sua mãe, porém, guardava todas estas coisas no coração.").

5. Na tentação, não cedeu a Satanás para conseguir controle ou domínio para si mesmo, mas afirmou a dependência e a adoração a Deus (Mt 4.4,10 - "Jesus, porém, respondeu: Está escrito: Não só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus. Então, Jesus lhe ordenou: Retira-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto.").

6. Todo seu ministério na terra foi desenvolvido em dependência e submissão total ao Pai.
  • Jo 5.19 - "O Filho nada pode fazer de si mesmo, senão somente aquilo que vir fazer o Pai"; 
  • Jo 7.16 - "O meu ensino não é meu, e, sim, daquele que me enviou";
  • Jo 8.28,29 - "Nada faço por mim mesmo, mas falo como o Pai me ensinou";
  • João 8.42 - "Replicou-lhes Jesus: Se Deus fosse, de fato, vosso pai, certamente, me havíeis de amar; porque eu vim de Deus e aqui estou; pois não vim de mim mesmo, mas ele me enviou."; 
  • João 14.10, 31 - "O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância. Novamente, pegaram os judeus em pedras para lhe atirar".
7. Antes de sua maior crise de angústia e sofrimento, dispôs-se a servir aos seus discípulos, lavando-lhes os pés (Jo 13.2-5 - "sabendo este que o Pai tudo confiara às suas mãos, e que ele viera de Deus, e voltava para Deus, levantou-se da ceia, tirou a vestimenta de cima e, tomando uma toalha, cingiu-se com ela. Depois, deitou água na bacia e passou a lavar os pés aos discípulos e a enxugar-lhos com a toalha com que estava cingido.").

8. Sabendo que o caminho que o Pai lhe havia determinado significava ir para Getsêmani e a cruz, ele aceitou o maior desafio à sua própria vontade que homem algum havia ou haveria de enfrentar.
Jo 14.31 - "Contudo, assim procedo para que o mundo saiba que eu amo o Pai e que faço como o Pai me ordenou. Levantai-vos, vamo-nos daqui";
Lc 22.42 - "Pai, se queres, passa de mim este cálice; contudo, não se faça a minha vontade, e, sim, a tua";
Hb 5.7,8 - "Tendo oferecido, com forte clamor e lágrimas, orações e súplicas a quem o podia livrar da morte, e tendo sido ouvido por causa da sua piedade, embora sendo Filho, aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu";
Jo 10.17,18 - "Por isso o Pai me ama,porque eu dou a minha vida para a reassumir. Ninguém a tira de mim; pelo contrário, eu espontaneamente a dou";
2Co 5.21 - "Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós".

9. Na cruz, seu último ato antes de entregar o fôlego, foi inclinar a cabeça, simbolizando o final de uma vida inteira de entrega (Jo 19.30 - "Quando, pois, Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado! E, inclinando a cabeça, rendeu o espírito.").

10. A atitude que caracterizou toda sua vida e sua disposição de entregar-se à vontade do Pai pode ser definida como "abrir mão de seus direitos".
Fp 2.5,6 - "Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se" NVI
Fp 2.5,6 - "Tenham entre vocês o mesmo modo de pensar que Cristo Jesus tinha: Ele tinha a natureza de Deus, mas não tentou ficar igual a Deus." NTLH.

11. Como resultado de sua perfeita obediência e entrega, o Pai o exaltou acima de todo nome (Fp 2.9,10 - "Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome;
Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra,
").

12. Quando Jesus voltar como o Filho exaltado e reconhecido, ele ainda haverá de se cingir como servo e servir àqueles que lhe foram fiéis (Lc 12.37 - "Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando! Em verdade vos digo que se cingirá, e os fará assentar à mesa e, chegando-se, os servirá."). Que chocante!

13. Depois que todos os rei nos do mundo passarem a ser do nosso Senhor e Cristo (Ap 11.15 - "E o sétimo anjo tocou a sua trombeta, e houve no céu grandes vozes, que diziam: Os reinos do mundo vieram a ser de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará para todo o sempre."), ele ainda haverá de demonstrar sua total e perfeita rendição ao Pai, entregando tudo que recebeu a ele (1 Co 15.24,28 - "24. Depois virá o fim, quando tiver entregado o reino a Deus, ao Pai, e quando houver aniquilado todo o império, e toda a potestade e força. 28. E, quando todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então também o mesmo Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos").

O que faremos diante de todas essas coisas? Temos duas respostas corretas: adorar a este Jesus inigualável e tornar-nos servos semelhantes a ele (veja Filipenses 2.5-11 - "De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai.".)

Jornal O Arauto da Sua Vinda - Ano 22 nº 5 - Setembro/Outubro 2004

Imagem extraída do site http://www.reviveourhearts.com/ de Nancy Leigh DeMoss

domingo, 18 de novembro de 2012

Festa de Missões

Festa com roupas e comidas típicas
Ontem, 17 de novembro de 2012, o Centro de Treinamento Cristão (CTC) promoveu a 1ª Festa de Missões, no Recanto SAL, em Nova Odessa.

O CTC possui diversos cursos, entre eles o CTD - Centro de Treinamento e Discipulado. que já nos referimos aqui. O CTC é uma iniciativa da Igreja Batista do Caminho Vila Jones de Americana-SP, com o Pastor Hugo Takashi Konno e Pastora Silvani, na primeira foto vestidos tipicamente em frente à barraca japonesa que vendeu yakisoba deliciosamente preparado pelo pastor, pelo Djalma e Thiago.

Uma festa maravilhosa, com muita comunhão e comidas típicas de vários países. A Festa comemorou o encerramento das aulas teóricas do CTD e o envio dos alunos para o prático. Ficarão 30 dias no Vale do Jequitinhonha colocando em prática aquilo que aprenderam.

Acompanhe as fotos!
Visão panorâmica da Festa de Missões
 
África do Sul, Suíça, México, Estados Unidos, Itália, Arábia Saudita, Brasil e Japão
Comidas deliciosas!
Arábia Saudita: kibe, tabule, etc.
Itália: pizzas, etc.
Suíça: chocolates, etc
Churrasco, etc.
México: batidas de frutas, sucos, etc.
EUA: hamburguer, fritas, etc
Japão - yakisoba, etc.
Camila e Rafael
Minha filha Camila está no CTD. Rafel, meu futuro genro, no CTO (Centro de Treinamento de Obreiros). Estão rumo aos sonhos compartilhados com Deus!

Gostaram?

As matrículas para o 1º semestre de 2013 no CTD estão abertas!

Entre em contato!

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

AH o meu carro é muita benção!!


O que vale mais?

Seu carro ou as almas que precisam conhecer a Jesus?

Você colocaria seu lindo e luxuoso carrão n numa estrada como esta?

Você seguiria por este caminho onde seu carro é um instrumento para o Reino de Deus ou continuaria valorizando a benção recebida que é o carro?

O carro ofertado, comprado, financiado , emprestado ou herdado é uma benção! Porém, benção maior é colocar ele no serviço do Reino.

Veja estes abençoados irmãos que saem do Recife e vão até o povoado do Urubu na cidade de Sertânia.
>
Quando aprenderemos que as bençãos são meios e não fins? E que alguns meios não são impedimentos para se alcançar os fins?

Você pode dizer que seu carro é UMA BENÇÃO?

ou

Você pode dizer COM SINCERIDADE que seu carro é MUITA BENÇÃO?

Quer conhecer o Projeto Caroá do Ministério Shalom?
Projeto Caroá - Atividade de 7 de setembro
Slide show sobre Missões no Interior do Nordeste
Viagem Missionária - junho 2011
Missões no interior do Nordeste
Camisas e bonés para evento missionário

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Cristo, Nosso Exemplo de Obediência - Andrew Murray



Novo artigo do Jornal O Arauto da Sua Vinda, acompanhe:

"Assim, também, por meio da obediência de um único homem muitos serão feitos justos" (Rm 5.19).

Estas palavras nos revelam o que recebemos graças à obra de Cristo. Da mesma forma como o fato de estarmos em Adão nos torna pecadores, por estarmos em Cristo somos feitos justos.

Essas palavras também nos revelam exatamente o que é em Cristo que nos torna justos. Assim como a desobediência de Adão nos deu a natureza de pecador, a obediência de Cristo nos faz justos. Nós devemos tudo à obediência de Cristo.

Entre todos os tesouros da nossa herança em Cristo, este é um dos mais ricos. Quantas pessoas nunca o estudaram, a tal ponto de amá-lo e se deleitar nele, e assim obter dele a bênção completa!

Ao estudarmos o papel da obediência de Cristo na sua obra para nos salvar, veremos nela a verdadeira raiz da nossa redenção e saberemos dar-lhe o devido lugar no nosso coração e na nossa vida.

"...por meio da desobediência de um só homem muitos foram feitos pecadores." Como foi isso?

A única coisa que Deus pediu a Adão no paraíso foi obediência. A única coisa através da qual uma criatura pode glorificar a Deus ou gozar do seu favor e sua bênção é a obediência. A única causa do poder que o pecado conseguiu no mundo e da ruína que ele desencadeou – é a desobediência. Toda a maldição do pecado que recai sobre nós é devido à desobediência a nós imputada. Todo o poder do pecado que opera em nós nada mais é que isto: que ao recebermos a natureza de Adão, herdamos também a sua desobediência e, conseqüentemente, nascemos já como "filhos da desobediência".

É evidente que a única obra para a qual seria necessário que Cristo viesse era, precisamente, remover essa desobediência – com sua maldição, seu domínio, sua natureza e suas obras más. A desobediência é a raiz de todo pecado e miséria. O primeiro objetivo da sua obra salvadora foi cortar de vez a raiz do mal e restaurar o homem para o seu destino original: uma vida em obediência ao seu Deus.

Como Cristo Fez Isso?

Em primeiro lugar, ele o fez vindo como o segundo Adão para desfazer o que o primeiro tinha feito. O pecado nos fez acreditar que era uma humilhação sempre ter que buscar e fazer a vontade de Deus. Cristo veio para nos mostrar a nobreza, a bênção, o caráter celestial da obediência.

Quando Deus nos deu o manto de criatura para usar, não sabíamos que sua beleza, sua pureza imaculada, era a obediência a Deus. Cristo veio e vestiu aquele manto para nos mostrar como usá-lo e como, através dele, podíamos entrar na presença e glória de Deus. Cristo veio para vencer e, assim, carregar para longe nossa desobediência, substituindo-a com sua própria obediência sobre nós e em nós. O poder da obediência de Cristo seria tão universal, tão poderoso e tão profundamente arraigado quanto a desobediência de Adão – sim, e muito mais ainda!

O objetivo da vida de obediência de Cristo era triplo:
1) Como um exemplo, para mostrar-nos o que é a verdadeira obediência;
2) Como nossa garantia, satisfazendo pela sua obediência toda a exigência da justiça divina por nós;
3) Como nossa Cabeça, para preparar uma natureza nova e obediente a ser comunicada para nós.

Obediência é Salvação

Cada pessoa que quiser compreender plenamente o que é obediência deve considerar bem o seguinte: é a obediência de Cristo que é o segredo da justiça e da salvação que encontro nele. A obediência é a verdadeira essência dessa justiça: obediência é salvação. Em primeiro lugar, preciso aceitar, confiar e regozijar-me na obediência de Cristo para cobrir, engolir e aniquilar terminantemente toda minha desobediência. Essa precisa ser a base inabalável, invariável, jamais esquecida, da minha aceitação por Deus. E, depois, a obediência dele torna-se o poder de vida da nova natureza em mim – assim como a desobediência de Adão era o poder que me governava até então.

A minha sujeição à obediência é a única maneira que posso manter a minha relação com Deus e com a justiça. A obediência de Cristo à justiça é o único começo de vida para mim; minha obediência à justiça é sua única continuação. Há somente uma lei para a cabeça e para os membros. Tão certamente como a desobediência e a morte foram a lei para Adão e sua semente, a obediência e a vida o são para Cristo e sua descendência.

O único vínculo, a única marca de semelhança, entre Adão e a sua semente é a desobediência. O único elo de ligação entre Cristo e sua semente, a única marca de semelhança, é a obediência.

Examine a Obediência de Cristo

Em Cristo, essa obediência era um princípio de vida. A obediência para ele não era um ato individual de obediência de vez em quando, nem mesmo uma série de atos, mas o espírito de toda sua vida. "Eu não vim para fazer a minha vontade." "Eis que venho para fazer a tua vontade, ó Deus." Ele veio ao mundo com um único propósito. Ele vivia somente para fazer a vontade de Deus. O poder supremo, a força mestre de toda sua vida, era a obediência.

Ele deseja produzir o mesmo em nós. Foi isso que prometeu quando disse: "Todo aquele que faz a vontade de meu Pai que está no céu, este é meu irmão e irmã e mãe."

O vínculo dentro de uma família é a vida comum compartilhada por todos e uma semelhança familiar. O elo entre Cristo e nós é que ele e nós juntos fazemos a vontade de Deus.

Em Cristo, essa obediência era uma alegria. "Deleito-me em fazer a tua vontade, ó Deus." "Minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou."

Nossa comida é refrigério e revigoramento. O homem saudável come seu pão com alegria. Mas comida é mais do que prazer – é uma necessidade vital. Da mesma forma, fazer a vontade de Deus era a comida da qual Cristo sentia fome e sem a qual ele não podia viver. Era a única coisa que satisfazia sua fome, que o refrescava, o fortalecia e o tornava feliz.

Em Cristo, essa obediência levava a uma espera pela vontade de Deus. Deus não revelou toda a sua vontade a Cristo de uma só vez e, sim, dia a dia, de acordo com as circunstâncias da ocasião. Na sua vida de obediência, havia crescimento e progresso; a lição mais difícil veio por último. Cada ato de obediência o preparava para a nova descoberta do próximo comando de Deus. Ele disse: "Tu abriste os meus ouvidos; alegro-me em fazer a tua vontade, ó Deus."

É quando a obediência se torna a paixão da nossa vida que nossos ouvidos serão abertos pelo Espírito de Deus para aguardar os seus ensinamentos, e não nos contentaremos com nada menos que uma orientação divina para nos conduzir à vontade de Deus para nós.

Em Cristo, essa obediência foi até a morte. Quando ele disse: "Eu não vim para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou", ele estava pronto para ir às últimas conseqüências para negar a sua própria vontade e fazer a vontade do Pai. Ele não estava brincando. "Em nada a minha vontade; a todo custo a vontade de Deus."

Esta é a obediência para a qual ele nos convida e nos capacita. Essa entrega de coração à obediência em tudo é a única verdadeira obediência, a única força capaz de nos levar à vitória. Quem dera que os cristãos compreendessem que nada menos do que isso é o que traz alegria e força para a alma!

Em Cristo, essa obediência nascia da mais profunda humildade. "Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que esvaziou-se a si mesmo... que tomou a forma de servo... que humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte."

Ao homem que está disposto a se esvaziar por completo, a se tornar e a viver como servo, "um servo obediente", a se humilhar profundamente diante de Deus e dos homens – é para este homem que a obediência de Jesus descortinará toda sua beleza celestial e seu poder constrangedor.

Pode ser que haja em nós uma vontade muito forte que secretamente confia em si mesmo e que falha nos seus esforços para obedecer. É quando caímos cada vez mais baixo diante de Deus em humildade, em mansidão, em paciência, em total resignação à sua vontade, dispostos a nos curvar em absoluta incapacidade e dependência dele, que nos será revelado que a única obrigação e bênção de uma criatura é obedecer a este glorioso Deus!

Em Cristo, essa obediência provinha da fé – em total dependência da força de Deus. "Eu não faço nada por mim mesmo." "O Pai que está em mim é quem faz as obras."

A resposta à entrega sem reservas do Filho à vontade do Pai foi a concessão ininterrupta e irrestrita pelo Pai de todo o seu poder para operar nele.

Assim também será conosco. Se aprendermos que a proporção em que desistirmos da nossa própria vontade será sempre a mesma medida da concessão do seu poder a nós, veremos que uma rendição à obediência total nada mais é que uma fé completa de que Deus haverá de operar tudo em nós.

Vamos fixar a nossa atenção em Cristo, examinando-o como servo obediente e confiando nele como nunca antes. Seja este o Cristo que recebemos e amamos, e com quem procuramos nos parecer. Como a sua justiça é a nossa esperança, deixemos que a sua obediência seja nosso único desejo. Que nossa fé nele, com sinceridade e confiança no poder sobrenatural de Deus operando em nós, aceite Cristo, o obediente, verdadeiramente como nossa vida, aquele que habita em nós.


Extraído de "The School of Obedience" (A Escola da Obediência), de Andrew Murray (1828-1917), ministro, missionário e autor na África do Sul.


Arauto Ano 22 nº 5 - Setembro/Outubro 2004