Pesquise em mais de 1800 postagens!

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Aspectos da Missão Urbana na Europa - Robert Calvert


Você sabia que as cidades históricas da Europa são apenas três por cento da massa terrestre do mundo, e poderia caber dentro África do Sul? No entanto, as cidades europeias tiveram uma influência desproporcionalmente grande sobre o resto do mundo, tanto através da história urbana e identidade cristã.

História urbana
Harvie Conn diz que duas das quatro grandes "ondas urbanas" começou na Europa. Na segunda onda urbana das cidades comerciais e feudais do século XI, cidades muradas da Europa deram proteção aos seus cidadãos e comércio habilitado que conquistou o mundo. Na quarta onda de hoje de cidades globais, grandes áreas metropolitanas da Europa, como Londres, Paris e Berlim estão ligadas. Rotterdam liga-se a Randstad dos Países Baixos e para a Rhine-Ruhr, na Alemanha. Há corredores urbanos entre Londres e Frankfurt e entre Milão e Barcelona. Grande número de empresas multinacionais, bancos e organizações  da Europa sugerem que ele ainda é um continente de influência, se não de inspiração.

A identidade cristã
Pontos cruciais do desenvolvimento da igreja histórica ocorreram na Europa. Pense no cristianismo celta, nos movimentos missionários monásticos, da Reforma e da Conferência Missionária Mundial em 1910, e hoje nas redes de plantação de igrejas, a migração de novos cristãos e igrejas emergentes.

Hoje, a Europa é composta de cerca de 50 Estados soberanos (principalmente repúblicas democráticas), cada um com suas próprias histórias, culturas, línguas e um vasto leque de tradições cristãs. Europa Ocidental (protestante / misto) é diferente do sul da Europa (tradicionalmente católico romano), a Europa nórdica (Luterana), Europa Oriental (Ortodoxa) e Europa Central (principalmente ateu). Através dos cristãos migrantes, o pentecostalismo está em toda parte. Os contornos do mapa da fé na Europa deve ser redesenhado.

Compreendendo o ministério urbano
As cidades de hoje são uma constelação deslumbrante de culturas globais, um caleidoscópio que se assemelha a um atlas mundial. Nos centros urbanos da Europa de hoje, encontramos todo o mundo. Há mais ministério cristão acontecendo neles do que costumamos dar crédito, variando entre servir as pessoas com dor, desenvolvimento de liderança e a transformação da comunidade, para a renovação da igreja e multiplicação.

Eu acredito que:
Cristo já está presente no mundo urbano. Nós não levamos Cristo para a cidade. Cidades tiveram a sua quota de líderes com complexos de Messias. Em locais escuros é que a presença de Deus está.
Igreja é o agente da missão de Deus na cidade. Deus não desistiu de seu povo, mesmo as igrejas locais ou missões, novas formas ou velhas, parceiros europeus ou Africanos / asiáticos.
As cidades são mais um presente do que um problema. A cidade é um dom da graça. A igreja é muitas vezes doente e insalubre, mas onde há ferida há o envolvimento da dor com a esperança de renovação.
As cidades são extraordinariamente bem-sucedidas e extremamente destrutivas. Recente livro de David Harvey contém a frase "Cidades rebelde", que é uma crítica marxista do urbanismo, e embora secular, tem mais zelo por um mundo urbano saudável do que muitas igrejas.

Embora a Europa seja o lar de um grande número de cristãos, nós não pensamos espiritualmente sobre as cidades, ora nos culpando pelo que está errado com o mundo, ora tendo uma visão brilhante que ignora o seu lado mais escuro. Crítica de Harvey, baseado na obra do sociólogo Robert Park, é que as cidades estão sob o controle de produtores de riqueza que deixa as massas de pessoas despossuídas a qualquer direito à cidade. O poder é mantido nas mãos de pequenas elites políticas e econômicas que moldam a cidade depois de suas próprias necessidades e desejos do coração.

Missão urbana precisa de uma crítica semelhante, mas biblicamente informada se não é para ser condenada à por esparadrapos nas feridas do partido na cidade. Que os cristãos creiam na Bíblia e sejam cada vez mais conscientes de que o Evangelho não é apenas sobre o pecado pessoal e salvação individual, que deixem de ser lentos para reconhecer o pecado público e espiritualidade corporativa.

Lausanne III afirmou que não é uma missão para o mercado local. Recentemente o Dr. Chris Wright falou sobre os compromissos de Lausanne III, na Holanda, e concluiu com a comissão missão urbana. Jeremias 29:7 diz: "Buscai a paz e prosperidade (shalom) da cidade para que eu carrego você para o exílio. Ore ao Senhor por isso, porque se ela prosperar, você também vai prosperar. Eu nunca ouvi um líder europeu evangélico falar assim antes. Então pode mudar nossas igrejas e os povos e as cidades?" Este é o Evangelho.

O Evangelho redime pessoas
Todos os homens são criados à semelhança de Deus, e todos eles precisam de fé e vida. Buscamos profunda mudança. "Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente." (Romanos 12:2) O Evangelho não é anti-urbana, mas é transformador de pessoas e mundos. Ministério urbano serve e cura, ora e perdoa, prega e ensina, treina e capacita., Atingindo as massas de pessoas que os outros (incluindo marxistas) não podem alcançar.

O Evangelho redime cidades
Deus cuidou de Nínive mais do que Jonas. Jesus chorou sobre Jerusalém. O que são cidades, mas criou instituições e ambientes humanos? O bispo da Igreja da Inglaterra falou recentemente de seu doutorado, intitulado: "As empresas podem pecar?" Você pode adivinhar a resposta!

Todas as estruturas humanas são responsáveis ​​perante Deus e precisamos chamar os departamentos da cidade de serviços humanos para servir as pessoas a que estavam destinadas. Temos de enfrentar os principados e potestades através da oração e ação. A cidade anseia por instituições humanas e um ambiente urbano que é liberado para servir. "A própria criação será redimida do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus." (Romanos 8:12) Visto que Cristo venceu Satanás, podemos enfrentar e chamar essas estruturas para o seu verdadeiro propósito.

Referências:
1. Harvie M. Conn e Manuel Ortiz, Urban Ministério, Downers Grove, IVP, 2001, 33-79.
2. David Harvey, Cidades Rebel, Londres, Verso, 2012.
3. A urbanização é sobre a densidade de pessoas enquanto que o urbanismo é sobre os valores da cidade. A urbanização tem reduzido espaço, mas urbanismo o recriou. Urbanização condensou espaço, mas urbanismo transmitiu isso em todo o mundo.
4. "Em 2010, 73% dos europeus vivem em zonas urbanas. 72% dos habitantes urbanos aderir ao cristianismo. 49% dos maiores 50 áreas europeus têm maiorias cristãs ". Todd M. Johnson, Kenneth R. Ross, eds., Atlas da Global cristianismo, Centro de Estudos da Global cristianismo, da Universidade de Edimburgo, 2009, 248.

Robert Calvert é ministro da Escócia, Igreja Internacional de Rotterdam, com mais de 40 nacionalidades. Durante esta década  ele tem coordenado uma rede europeia para profissionais de ministério urbano. Robert organiza consultas e trilhas, supervisiona estágios de estudantes e ensina sobre o ministério urbano.

Artigo sugerido por Justin Long em seu email semanal de prospecção da WEB.

Já publiquei outro artigo de Robert Calvert:
http://missoeseadoracao.net/2010/10/secularidade-dogma-encontra-diversidade.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmão ou amigo, faça seu comentário. Alguns comentários podem ser apagados..... Você tem liberdade de escrever o que quiser, porém, sua liberdade está condicionada ao senhorio de Jesus Cristo, às Santas Escrituras e aos objetivos do blog.