Pesquise em mais de 1800 postagens!

terça-feira, 21 de agosto de 2012

TURISMO MISSIONÁRIO - JMM e JMN

O texto do pastor Teófilo Karkle suscitou uma saudável discussão.

Recebi um alerta de uma pessoa que defendeu as práticas da Convenção Batista Brasileira, a JMM (Junta de Missões Mundiais) e da JMN (Junta de Missões Nacionais) a respeito de viagens de pessoas leigas para o campo missionário. O contraposto do defendido pelo Pr. Teófilo em seu artigo Turismo Missionário.

Ela lamenta a posição adotada pelo Pr. Teófilo e apresenta argumentos favoráveis importantes.

Vejam o que ela escreveu:

Gilson amado,
As agências missionárias da Convenção Batista Brasileira, tanto Nacional (JMN) como a Mundial (JMM) tem promovido viagens missionárias e tem havido grande êxito. Os frutos tem sido excelentes. Além das almas alcançadas o próprio voluntário passa a ter uma visão diferente do Campo Missionário, e passa a fazer missões onde mora, onde estuda, onde trabalha. Ou seja há um despertamento do ardor missionário.
Mas claro, há um planejamento prévio adequado, da atuação do missionário voluntário dentro de uma proposta de disponibilidade de tempo e recursos. Quando há falta de planejamento, ou quando se recebe um voluntário ou voluntários sem recursos problemas também são gerados.
Um exemplo pode ser visto no Conexão Londres, coordenado pelo Pastor Marcos Grava, coordenador do Programa Esportivo Missionário (PEM) e do Setor de Voluntários de Missões Mundiais.
Veja detalhes em
 http://www.jmm.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=4952&Itemid=275

Fico realmente triste quando vejo alguém se posicionar desta forma, principalmente alguém conhecedor da obra missionária.


AO que respondi para ela:

Olá L., graça e paz.
Compartilho com os ideais do projeto das agências missionárias da Convenção Batista Brasileira. Sou favorável ao movimento de pessoas até os campos missionários. Inclusive, já fiz parte de um trabalho semelhante.
O texto do Pr. Teófilo expressa as opiniões dele! Claro que há razão nas palavras dele, mas também um pouco de exagero.
Ele faz eco a pessoas que são contrárias a essas viagens, achando melhor investir o dinheiro direto nos missionários. É um aspecto das missões.
Farei o seguinte. Publicarei uma resposta ao texto do pastor Teófilo usando do seu texto e do link que você enviou. Acho que equilibraremos as posições. Tudo bem?
Gilson de Moura
Blog Missões e Adoração


AOS amados irmãos fica a dica: se puder fazer turismo missionário, faça! Você será abençoado e abençoará pessoas. Contudo, continue investindo na obra missionária, em pastores, missionários e nas agências missionárias.

5 comentários:

  1. Bom dia a todos, graça e paz.
    Nesta manhã, fui surpeendido com este tema, TURISMO MISSIONÁRIO - JMM e JMN.
    Sou missionária da JMM ha muitos anos, mas aqui não estou falando em nome da JMM, pois não tenho competencia para isso. Vou apenas escrever os FATOS e não MITOS em relação ao assunto em que o nosso irmão escreveu contando as suas experiencias no campo onde mora e faz o trabalho de Deus.
    O trabalho que a JMM realizae com os seus mais de 756 missionário ao redor do mundo, é muito laboroso e sob a direção do nosso amado Mestre JESUS.
    Nenhuma aitude é tomada em relação ao "Turismo Missionário" o qual chamamos de HOPE TOUR, sem o previo planejamento extratégico da eficiente equipe do projeto, o qual quem coordena e faz isso com excelencia é o Pr Marcos Grava, que também é o coordenador do PEM - Programa Esportivo Missionário, que leva a menssagem do enevgelho atravéz do esporte e tem entrado em lugarem onde os missionarios não tem acesso.
    A JMM pela graça de DEUS tem feito um trabalho relevante e por experiencia propria, nunca abandona os seus missionários no campo, nem esquece de munitoria-los, pastorea-los aconselha-los etc etc etc...
    Devido aos 109 anos de experiencia, a JMM faz o HOPE TOUR pelo mundo, exatamente para despertar os cristãos brasileiros ao inves de fazere apenas turirsmo em si, que aproveitem a oportunidade de ir a um outro pais e levar ajuda humanitaria, ajuda emocional aos irmãos. (Como é bom receber irmãos no campo missionário...).
    Creio que o comentario do irmão em suas experiencias negativas, não se devem ser comparadas ao Trabalho que a JMM tem feito com muita responssabilidade, clereza e amor.
    **
    ***
    **** O missionário não deve esperar que os irmãos que estão fazedo sua missão de levar ajuda ao campo, que eles benham ofertar nas suas igrejas, pois este não é o propósito da HOPE TOUR, e alem do mais a JMM tem seus projetos planejados extrategicamentebpara cada campo e cada um de seus missionários. Não é papel dos "turistas missionários como o irmão citou, levar oferta para a igrea, pois isso eles ja fazem durante o ano inteiro em suas contribuições mensais para os missionário e seus projetos.
    A diferença entre o que o irmãos falou e ao que a JMM faz, é que a JMM não faz nenhuma caravana missionária (e nçao turismo missionário) sem o previo planejamento extratégico do que se vai fazer no campo, bem como tudo o que se for despendiar a cada dia, cada refeição, locais de repouso etc. Nossas amados irmãos que se dispoem em vir ao campo em caravanas, não dormem em hoteis 5 estrelas nem em hoteis luxuosos, e sim muitas vezes nas casa de locais,hoteis locais de custo acessivel etc.
    Em toda a minha vida missionária(25 anos), nunca me senti desrespeitado por nenhum irmão que me visitou no campo, pleo contrario, sempre me senti abençoado, pois afinal de conta o que devemos amar são as pessoas, e não o que elas tem a nos oferecer... grato.

    Pr Miss. Henrique Davanso Pechoto
    a seu dispor.

    ResponderExcluir
  2. Um líder sobre missões me disse uma vez:

    Só consegue entender e amar um povo, uma região, ou entender a urgencia do local, aquele que esteve lá, sentiu os cheiros, viu a terra, só assim, aprende-se a realmente ter sentimetnos por um lugar.

    Ir, é muito importante, mas desde que haja equilibrio e como você recomendou que não deixe de enviar ajuda aos missionários, tenho certeza, se quem vai ama a Deus, e vê a necessidade dos missonários, com certeza irá ajudar mais ainda ou mais, se tornará um missionário.

    Grande Abraço

    Anselmo Borella
    Umuarama-Pr.

    ResponderExcluir
  3. Pastor Henrique e Irmão Anselmo.

    Sou solidário aos ideais da JMM e JMN em seus projetos. Inclusive no passado já colaborei financeiramente.

    Em 2006 fiz uma viagem de mais de 7 mil km de carro visitando campos missionários no Centro-oeste, Norte e Nordeste.

    Parabéns pelos comentários equilibrados que vocês escreveram. Já notifiquei o Pr. Karkle do Chile sobre o posicionamento monocular que ele escreveu.

    Deus abençoe!

    ResponderExcluir
  4. Já participei de várias caravanas missionárias, no Brasil e no exterior,nunca pensei que fosse turismo. Trabalhei tanto...que esse pensamento não me veio a mente.Respeito ambas as juntas. E acho que á estratégia é de Deus. Minha igreja passou a contribuir muito mais pra missõesm depois que eu fui ao campo, dei testemunho e mostrei as filmagens. Que Deus nos abençoe a todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Cristina. Graça e Paz

      Às vezes, precisamos realçar um aspecto negativo pra que os muitos aspectos positivos apareçam mais explicitamente.
      Esta foi a ideia central do texto original (negativo) e desta postagem e seus comentários (positivos).
      Deus abençoe.

      Gilson de Moura
      Blog Missões e Adoração

      Excluir

Irmão ou amigo, faça seu comentário. Alguns comentários podem ser apagados..... Você tem liberdade de escrever o que quiser, porém, sua liberdade está condicionada ao senhorio de Jesus Cristo, às Santas Escrituras e aos objetivos do blog.