Pesquise em mais de 1800 postagens!

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Sem cristãos, Sem Bíblia, Sem Missionários

Artigo traduzido sobre a criação das listas de povos não alcançados em 2011, escrito por Ted Bergman e Bill Morrison no Lausanne World Pulse de Outubro / Novembro 2011 

É imperativo, para aqueles de nós que seguem a Cristo, discipular todos os povos. Dos muitos povos que precisam de missionários, quais são aqueles com prioridade mais alta? Acreditamos que são os grupos que, tanto quanto sabemos, não têm seguidores de Cristo entre eles, nenhuma Escritura (Bíblia, Testamentos, Salmos e Provérbios, ou outros trechos), sem missionários com a intenção de levar o Evangelho até eles.

Em um artigo anterior (em inglês aqui), listamos algumas línguas que os missionários devem aprender a fim de testemunhar a esses povos de mais alta prioridade.

Este artigo é uma atualização da lista com base em novas pesquisas. O resultado é uma redução do número para apenas 112 línguas! Esses povos são encontrados em 21 países.

O maior número de povos, 25, está na China, 16 povos estão no Nepal, e 15 no Irã. A lista anterior foi uma combinação de dados do World Christian Database (WCD) e da SIL Ethnologue. A WCD foi escolhida porque poderia ser consistentemente correlacionados com informações da SIL sobre a disponibilidade das Escrituras para quase todos os povos em seu banco de dados. A WCD dá informações sobre os dados que corroborem sobre grupos de pessoas sem cristãos (embora nós não saibamos ao certo quão precisas e atuais são).

Mas outros bancos de dados tem informações e fontes que podemos usar para melhorar a nossa lista. Por exemplo, o Joshua Project (Projeto Josué) frequentemente ofoerece dados a Paul Hattaway (autor de Operação China), Patrick Johnstone (editor da Intercessão Mundial), Omid (para dados sobre o Sul da Ásia)[1], e outros. O Church Planting Progress Indicators – CPPI (Indicadores do Progresso de Plantação de Igrejas) da IMB é formado a partir de dados de trabalhadores do campo da própria IMB. De fato, pesquisadores de todos os quatro bancos de dados globais trabalham juntos. Estas diferentes perspectivas sobre a situação são extremamente importantes.

Além de comparar os dados de outros bancos de dados, buscou-se confirmar os achados em contato com o pessoal de campo que estavam próximos aos povos não alcançados na lista. Em alguns casos, ficamos sabendo de missionários que declararam trabalhar com alguns destes grupos ou alguns crentes.

Outra lista muito maior tem sido promovida por Paul Eshleman através do Finishing the Task parceria (FTT). Ela também está sendo atualizada, mas a partir de julho de 2011, FTT lista 1.015 Povos Não Alcançados e Não Visados (Unengaged, Unreached People Groups (UUPG)) com população superior a 50.000. Note-se ainda outro site popular, Call2All (Chamada para Todos) que mostra 3.400 UUPG, incluindo todos os grupos, não apenas aqueles com mais de 50.000. Ambos se utilizam dos dados da CPPI do IMB. À primeira vista, estas podem parecer para orientar os mesmos grupos que essas em nossa lista.

A maior diferença é em saber se a lista inclui apenas aqueles com menos de 2% evangélicos, ou não cristãos até onde sabemos. A distinção entre "evangélico ou cristão" é importante de se compreender. O Projeto Josué (JP) considera os dois termos. Para ser designado como "não alcançado", o grupo deve ser inferior a 2% de cristãos evangélicos e menos de 5% adeptos ao cristianismo. Um “evangélico” é um subconjunto de adeptos cristãos e está assim definido em seu site.

IMB tem uma definição semelhante para evangélicos. Como apontado na Intercessão Mundial, nem todos os evangélicos são nascidos de novo. As listas FTT e Call2All contam apenas evangélicos, enquanto que em nossa lista entram apenas os grupos sem qualquer adepto cristãos. Mais uma vez, ambas as perspectivas são valiosas.

Como Johnstone apontou, deveria haver alguma distinção feita entre aqueles povos que não têm testemunhas disponíveis para contato e aqueles que, se procurados, poderíamos encontrar algum trecho de Escritura de uma linguagem que eles entendem e uma igreja que prega elementos do evangelho. Por exemplo, os japoneses na Argentina, um número estimado em 50 mil e com menos de 2% de evangélicos, então eles fazem parte da lista. Mas o evangelho está disponível para eles se procurarem.

Outra diferença é que na nossa lista, se os indivíduos de um grupo de pessoas vivem em ambos os lados de uma fronteira nacional, a língua é listada somente uma vez. A questão que estamos fazendo é quantas línguas um missionário tem que aprender a fim de alcançar os grupos que não têm cristãos ou Escritura? Aprendemos, por exemplo, que o povo Runga do Chade não tem Escritura e poucos, se houver, cristãos, no entanto, do outro lado da fronteira, na República Centro Africano, há um considerável número de crentes Runga. Então nós removemos este grupo de pessoas da nossa lista anterior.

A diferença final com a lista da FTT tem a ver com a população. Em nenhum lugar nos centenas de versículos onde Deus fala de "todas as nações" e "todos os povos", Ele comanda ir a grupos maiores primeiro. Se isso fosse a sua estratégia, Cristo poderia ter nascido um romano, em vez de um judeu.

Vamos defender Missões para todos os povos não alcançados como a Bíblia afirma, sem distinção do tamanho. É verdade que os menores grupos de pessoas são geralmente mais bilíngues e biculturais e podem não precisar de uma testemunha em separado, mas isso é uma tendência (e não um fato), com base unicamente em um povo menos populoso.

Lista
Então clique aqui para ver a nova lista [em inglês]. Embora tenhamos pedido a pesquisadores e missionários de campo para revê-lo, é, sem dúvida, passível de erros. Pode haver pessoas que não estão na lista e deve estar, e outros que poderiam ser removidos[2]

O JP e listas CPPI não mostram dados para alguns idiomas, mas como as duas colunas da direita mostram, não há mais qualquer um dos desentendimentos que estavam na lista anterior. Há um amplo acordo sobre estes grupos mais necessitados. Oferecemos como oração ao Todo-Poderoso, que Ele mande trabalhadores para a colheita.

Os autores gostaria de receber feedback sobre a precisão da lista.

Notas finais
1. Dados provenientes de Omid refere-se aos “países” do Sul da Ásia nas páginas do Joshua Project se um estado (divisão / zona / província) é escolhido ou se uma menor divisão administrativa do Estado é escolhida.
2. Hattaway observou em um e-mail, por exemplo, que houve avanços significativos entre os grupos Qiangic na China que estão na lista, especialmente desde o terremoto de Sichuan. Estes grupos podem agora ter alguns crentes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmão ou amigo, faça seu comentário. Alguns comentários podem ser apagados..... Você tem liberdade de escrever o que quiser, porém, sua liberdade está condicionada ao senhorio de Jesus Cristo, às Santas Escrituras e aos objetivos do blog.