Pesquise em mais de 1800 postagens!

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Saiba mais sobre o Plebiscito do Sudão

O sul do Sudão está nesta semana decidindo a formação de um novo país. O plebiscito iniciado no último domingo, 9 de janeiro, definirá se o Sul do Sudão continuará ligado ao Norte ou não.

Para você entender mais o assunto, veja o infográfico acima, ou então, leia o texto, ambos extraídos do site da Terra.
Quase quatro milhões de eleitores do Sul do Sudão votarão em um referendo sobre divisão da maior nação da África em dois

Os centros de votação do sul do Sudão começaram neste domingo a abrir suas portas às 8h (horário local, 3h de Brasília) no início de um plebiscito de autodeterminação que se prolongará por sete dias.

Foram convocados um total de 3,9 milhões de sudaneses originais do sul do país e que tenham chegado à região desde 1956. O voto será exercido não só no sul do Sudão, mas no resto do país e em outras oito nações, para os emigrantes.

As cédulas têm apenas duas opções: a unidade, representada por duas mãos entrelaçadas, e a separação, representada pela palma de uma mão em sinal de parada.

Esta votação é o resultado do acordo de paz assinado em 2005 entre o norte e o sul do Sudão, que pôs fim a duas décadas de uma guerra que causou cerca de dois milhões de mortos.

A votação acontece até o dia 15 de janeiro. Os resultados totais preliminares serão anunciados por volta do final deste mês, e o prazo final, uma vez revisadas todas as impugnações, será o dia 14 de fevereiro.

Em caso que de aprovada a separação, a opção favorita nas pesquisas, no final de julho vencerá o período transitório fixado nos acordos de paz de 2005 e se dará início ao surgimento de uma nova nação, a primeira deste século.

Referendo do Sul: passado e futuro em jogo
Neste domingo, 9 de janeiro de 2011, a população da porção sul do Sudão vai às urnas no referendo que vota a autonomia da região. A expectativa geral é de que o 'sim' saia vencedor, resultado que deve levar à secessão do resto do país e a criação de uma nova nação: o Sudão do Sul, com capital em Juba e presidido por Salva Kiir.

O referendo está previsto desde janeiro de 2005, quando foi assinado o Tratado de Naivasha. Também conhecido como Amplo Acordo de Paz, o tratado colocou fim a um conflito de 21 anos travado entre o norte sudanês, predominantemente árabe, e rebeldes do sul, região miscigenada e parcialmente cristã. Durante este período, iniciado em 1983, cerca de dois milhões de pessoas morreram.

Apesar da boa expectativa para a realização do referendo, muito deve ainda acontecer depois dele. O presidente sudanês, Omar al-Bashir, garantiu que aceitará o resultado da votação, mas ainda é incerto o futuro das relações entre norte e sul. Por trás do conflito está a disputa pelo controle da maior riqueza natural do país, uma reserva de milhões de barris de petróleo, localizada justamente na faixa central do Sudão.

Vamos orar por este país, ou por estes dois países!

2 comentários:

  1. Vcs são um bando de adoradores da prosperidade e querem contaminar os outros com esse câncer proselitista que chamam de religião. Uma prova disso é o Edir Macêdo e sua corja que sua a todo momento a imagem do cristianismo.

    ResponderExcluir
  2. Uau anônimo, você chegou nesta conclusão apenas ao ler esta postagem?

    Que capacidade de abstração e discernimento.

    Estou impressionado!

    Que pena! Tanta capacidade sem direção! Leia mais esta postagem e pense a respeito,

    http://missoeseadoracao.net/2009/09/teologos-da-prosperidade-e.html

    Eu te perdoo pela afronta. Perdoe-me pela brincadeira.

    Gilson de Moura
    Blog Missões e Adoração

    ResponderExcluir

Irmão ou amigo, faça seu comentário. Alguns comentários podem ser apagados..... Você tem liberdade de escrever o que quiser, porém, sua liberdade está condicionada ao senhorio de Jesus Cristo, às Santas Escrituras e aos objetivos do blog.