Pesquise em mais de 1800 postagens!

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Como Sei Que Deus Responde à Oração - Parte III - Rosalind Goforth

Rosalind Goforth 
Jonathan e Rosalind Goforth foram missionários canadenses na China de 1888 a 1934. Durante esse período, tiveram onze filhos (cinco dos quais morreram como bebês ou muito novinhos), passaram por perseguições e dificuldades, e testemunharam grandes moveres do Espírito de Deus, trazendo convicção, arrependimento e conversões.

Esta é a terceira [postagem] de uma série de relatos extraídos de um livro escrito por Rosalind.

Pagando o Preço

Durante os primeiros dois ou três anos em Chang Te Fu, moramos em casas chinesas insalubres, muito baixas e úmidas. Achamos melhor, diante disso, mandar construir uma casa num estilo semi-estrangeiro.

A obra de Deus estava indo muito bem, na época, com novos convertidos chegando toda semana, às vezes quase diariamente. Nosso temor era que uma casa diferente das casas chinesas normais pudesse ser um empecilho à obra, criando uma barreira de separação entre nós e o povo. Por isso, oramos para que Deus a usasse como meio de alcançar mais pessoas – que fosse uma bênção e não um empecilho.

A resposta a essa oração, como muitas vezes ocorre, dependia em grande medida de nós mesmos. Precisávamos estar dispostos a pagar o preço que a resposta exigia.

Na prática, isso significava que, para nossa oração ser respondida, precisaríamos manter a casa aberta “ao público” todos os dias, o dia todo, o que não era fácil de jeito nenhum. Alguns nos aconselharam a não fazer isso, pois nos tornaria mais comuns, com menos respeito, aos olhos dos chineses; outros diziam que seria perigoso, por causa do perigo de infecções para as crianças.

Com o tempo, todas as objeções se provaram infundadas. Recebemos todas as pessoas, desde as mais distintas até as mais humildes, e ganhamos assim a sua amizade. E, até onde sei, nossos filhos nunca foram contagiados por recebermos tanta gente em nossa casa.

O auge em números foi atingido na primavera de 1899, quando 1.835 homens e várias centenas de mulheres foram recebidos por nós num único dia. Todos ouviam o evangelho em grupos grandes e depois eram conduzidos pela casa. Vimos evidências do benefício dessa estratégia muitas e muitas vezes, em todas as partes do campo onde trabalhamos na China. Abria o coração do povo para conosco e contribuía para apagar desconfianças e suspeitas como nenhum outro plano poderia ter feito.

Grave Enfermidade

Em maio de 1898, saímos de viagem com nossos filhos para Tientsin de barco, para um descanso muito necessário. Logo enfrentamos tempo frio e úmido. Doze dias depois, quando estávamos nos aproximando de Tientsin, nosso filho mais velho subiu no convés e se expôs a um vento gelado, sem casaco, e contra minhas ordens. Pouco tempo depois, ele estava sentindo calafrios violentos. Ao chegarmos em Tientsin, um médico deu o veredicto: pneumonia.

No dia seguinte, logo depois do meio-dia, um segundo médico, que havia sido consultado também, contou para uma amiga nossa que o garoto não passaria daquela noite. Medi a sua temperatura, e estava acima de 41º C. Ele estava extremamente inquieto, virando de um lado para outro, queimando de febre.

Sentei-me ao lado dele, com um clamor interior para que o Senhor me ajudasse, e falei-lhe com muita clareza: “Paul, você me desobedeceu e por isso contraiu essa doença. Eu lhe perdôo; agora peça a Jesus que lhe perdoe também e se entregue a ele”.

O garoto olhou fixamente para mim por um instante, depois fechou os olhos. Vi os seus lábios se mexendo por um momento e, em seguida, ele adormeceu profundamente. Quando acordou, ao anoitecer, medi sua temperatura novamente. Havia abaixado para 38,3º C. Quando o médico voltou, a temperatura estava normal e não subiu mais. Embora estivesse com uma hemorragia nos pulmões, isso também logo cessou.

Jesus Cristo não é o mesmo, ontem, hoje e eternamente? Por que duvidaríamos, então, da sua disposição de curar ainda hoje? “Seja-vos feito segundo a vossa fé.”

Fé de Criança

Durante aqueles primeiros anos pioneiros, enquanto estávamos lançando os fundamentos da igreja de Changte, minha fé débil foi envergonhada muitas vezes ao ver os resultados da fé simples, de criança, dos novos cristãos chineses. Algumas das respostas à oração eram tão extraordinárias que até outros pastores e ministros na nossa terra natal (Canadá) expressavam dúvidas quando as contávamos lá. Mas, graças a Deus, eu sei da sua veracidade. Eis um exemplo:

Li-ming, um evangelista amoroso e intenso, possuía terras um pouco ao norte de Chang Te Fu. Numa ocasião, quando estava passando por lá, encontrou todos os seus vizinhos colocando pequenas varas ao redor de suas plantações, com bandeirinhas. Acreditavam que isso impediria os gafanhotos de consumirem os grãos da lavoura.

Todos insistiram com Li-ming para fazer o mesmo e para adorar o deus dos gafanhotos, pois, do contrário, toda sua lavoura seria consumida. Li-ming respondeu: “Eu adoro o único verdadeiro Deus, e vou orar para que ele guarde os meus grãos. Assim vocês saberão que somente ele é Deus”.

Os gafanhotos vieram e comeram em volta da lavoura de Li-ming, por todos os lados, mas não tocaram nas plantações dele. Quando meu marido, Jonathan, ouviu essa história, ele quis ter certeza e foi ao local para obter provas. Chegando lá, perguntou aos vizinhos o que sabiam a respeito disso. Todos confirmaram que, quando os gafanhotos vieram, as lavouras deles foram consumidas enquanto a plantação de Li-ming foi intocada.

O Senhor Jesus disse certa vez, depois de um conflito com incredulidade e hipocrisia: “Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos” (Mt 11.25).

Duas Crianças Doentes – Duas Respostas Diferentes

Nossa filhinha, Gracie, adoeceu com uma doença terrivelmente fatal, tão comum em regiões onde há malária: baço aumentado. Os médicos diagnosticaram sua condição como impossível de ser tratada e sem esperança.

Um dia, uma mulher chinesa, cristã, veio para nossa casa com seu filho que tinha a mesma idade de Gracie e a mesma enfermidade. A pobre mãe estava em grande angústia, pois o médico também lhe dissera que não havia esperança. Ela achava que se implorássemos ao médico, ele poderia salvar seu filho. No fim, meu marido mostrou-lhe nossa filha, Gracie, e disse: “Certamente, se o médico não pode salvar a nossa criança, tampouco pode salvar a sua; a única esperança sua e nossa está no Senhor somente”.

A mãe era uma mulher sem instrução, pobre, trabalhadora, mas ela tinha a fé simples de uma criancinha. Algumas semanas depois, ela veio novamente e contou-me a seguinte história:

“Quando o pastor me disse que minha única esperança era no Senhor, acreditei nele. Ao chegar em casa, chamei meu marido e juntos entregamos nosso filho nas mãos de Deus. Senti certeza absoluta que a criança ficaria bem, por isso passei a não lhe dar mais atenção do que daria a uma criança sadia. Em mais ou menos duas semanas, ele parecia estar tão bem que o levei novamente ao médico, que não achou mais nada nele.”

Aquela criança chinesa cresceu e tornou-se um homem saudável, enquanto que a nossa filhinha morreu. No entanto, oramos por ela como poucas pessoas, talvez, já oraram por uma criança. Por que, então, sua vida não foi poupada? Não sei responder. O que sei é que havia na minha vida, naquela época, o pecado de amargura para com uma outra pessoa e a indisposição de perdoar uma ofensa. Essa era causa suficiente para impedir qualquer oração e, de fato, impediu por algum tempo, até que foi acertado.

Esse caso de oração não respondida abalou minha fé na disposição e no poder de Deus para ouvir nossos pedidos? De forma alguma! Um filho meu poderia, com o mesmo argumento, decidir que nunca mais iria me pedir coisa alguma porque eu, com sabedoria superior, havia negado uma petição sua. Não é verdade que nós, nos relacionamentos com nossos filhos, achamos por bem conceder certas coisas num momento e negá-las em outro? “O que eu faço não o sabes agora, compreendê-lo-ás depois” (Jo 13.7).

Misericórdia do Pai

Uma das experiências mais preciosas da misericórdia amorosa de Deus veio em conexão com a morte da nossa pequenina Gracie.

Havíamos sido avisados que seu fim poderia acontecer no meio de convulsões; isso, nós entendíamos muito bem, pois dois dos nossos preciosos filhinhos haviam morrido dessa forma. Somente uma mãe que já passou por tal experiência pode compreender plenamente o horror de enfrentar essa possibilidade outra vez, a qualquer momento.

Certa noite, eu estava vigiando ao lado de Gracie, junto com uma amiga, quando, de repente, a criança disse com muita determinação: “Chame o papai; quero ver o papai!”.

Hesitei em chamar seu pai, pois era a sua vez de descansar; tentei distraí-la com uma desculpa, porém ela repetiu seu pedido outra vez. Finalmente, chamei meu marido e pedi que ele ficasse um pouco com ela, até que eu voltasse.

Fui para um outro quarto e clamei em agonia ao Senhor para que não permitisse que Gracie sofresse. Se era realmente a vontade de Deus levá-la embora, então que fosse sem sofrimento. Enquanto eu orava, uma maravilhosa paz veio sobre mim, e a promessa veio à minha mente tão claramente como se alguém a tivesse lido em voz alta: “Antes que clamem, eu responderei; estando eles ainda falando, eu os ouvirei” (Is 65.24).

Ao me levantar da oração, minha amiga me encontrou na porta e disse: “Gracie está com Jesus”. Enquanto eu estava de joelhos, nossa amada filha, depois de repousar alguns instantes nos braços de seu pai, olhou direto no rosto dele com um de seus mais lindos sorrisos e, em seguida, fechou seus olhos e parou de respirar. Sem agitação, sem dor, simplesmente “adormeceu”.

“Como um pai se compadece de seus filhos, assim o Senhor se compadece...” (Sl 103.13).

Fonte: O Arauto da Sua Vinda -  Ano 23 nº 2 - Março/Abril 2005

4 comentários:

  1. as vezes ficamos anciosos pela resposta de Deus as nossas oraçoees, nos nos esquecemos que Deus e fiel e que ele primeiro nos prepara para recebermos o que pedimos , alem disso ele nos concede infinitamente mais e melhor do aquilo que nos pedimos; aquilo que pedimos nada mais e do que o que sonhamos e almejamos para nosso vida e para as pessoas que nos amamos,e o sonho representa a fe naquilo que aindo nao conseguimos alcançar , Jose sonhou um sonho que parecia impossivel aos olhos dos homes mas Deus provou que tudo aquilo que pedimos com fe no nome do Senhos ele nos concede,mas do que isso sonhar e acreditar que o Senhor realmente e capaz de trazer a existencia coisas que nao existem. Deus e fiel para cumprir toda promessa feita a mim e a voce , e a todo sonho que voce apresenta a ele com fe e confiança acredite no tempo certo ele realizara.....

    E.A.L.

    ResponderExcluir
  2. Olá E., Graça e Paz

    Obrigado por suas palavras. Tenho certeza que Deus te inspirou para você disponibilizar tempo para escrever este pequeno texto.

    Suas palavras vem ao encontro do momento que passo hoje. Moro em casa alugada. Minha família tem posses, mas eu não. Depois de tanto tempo, surgiu a oportunidade de reformar uma das casas de aluguel da minha mãe para eu morar. Vou reformá-la com o dinheiro que Deus me dá forças para ganhar. Vou morar naquilo que é "praticamente" meu, sem pagar aluguel! Graças a Deus. Um sonho realizado!

    Esta semana que passou foi a semana dos sonhos confirmados! Tanta ansiedade! Mas Deus sabe tudo de mim! Sempre esperei nEle! Minha esposa sonhou comigo nesta semana. Eu estava dentro de um casulo, comecei a sair dele e Deus foi me levantando, colocando numa posição de honra! Glórias a Ele!

    O diabo veio contra mim também! Na quinta conversei com a gerente da minha conta e disponibilizou uma grande oportunidade para eu reformar a casa da minha mãe. Saímos alegres do banco! Às 10 horas da noite, recebi um SMS do banco informando o débito de duas contas no valor de quase R$900,00! Meu cartão havia sido clonado! Fui ao banco no dia seguinte e cancelei os cartões e, graças à Deus, reavi o dinheiro! Mas, foi um sufoco. O inimigo quis tirar a minha paz!

    Graças a Deus por suas palavras! Nem sei quem é você, nem aonde mora, mas, Deus te usou para acalentar meu coração, mais uma vez!

    Este blog me dá muitas alegrias. Deus me usa (apesar de mim) para falar a muitos em todo o planeta! Mas Deus também usa meus leitores para falar comigo por diversas oportunidades! Fez isso com você agora!

    Deus te abençoe e te guarde. Que Ele te faça prosperar em saúde, paz e alegria a cada dia da sua vida e dos seus. Que Deus te abençoe e também a tudo o que se refere a você e aos seus!

    Em Cristo

    Gilson

    ResponderExcluir
  3. Parte I

    a graça e paz irmao nao postei nem uma foto minha no meu perfil porque ainda estou aprendendo a mecher com essa ferramenta de grande valia que e a informatica ,nao fiço curço e aprendo um pouco a cada dia ,pode se ver pelos meus erros de pontuaçao que ate hoje nao aprendi a usalos, vou te falar um pouco de mim querido irmao ; sou uma jovem senhora de 29 anos casada ha dez dois filhos lindos um de 9 e outro de 8 . Me converti aos 14 anos mas passei um periodo afastada da igreja creio eu pelas armadilhas do nosso inimigo diabo, voltamos para igreja eu e meu esposo nos casamos porque maravamos juntos ha algum tempo mas nao eramos casados legalmente, voltamos a participar da ceia dai entao foi so bençao, no começo do nosso casamento passamos muitas lutas e privaçoes pois ele orfao de pai e mae desde os quinze anos e nao tinha um apoio ou melhor dizendo uma estrutura para manter a familia, meus pais um casal humilde minha mae domestica e meu pai cortador de cana, tambem nao tinha muito a nos oferecer eu so a filha caçula de uma familia de seis filhos nem um deles nem se quer terminou o ensino fundamental , somente eu que sempre sonhei em ter curso superior e ate consegui chegar na tao sonhada faculdade mas nao consegue manter pois pagamos aluguel e ainda tem o financiamento de uma moto que eu fiz uma honda biz entao eu tive que deixar a faculdade sem nem almenos fechar o semestre fiquei muito triste mas sei que o Senhor sabe o tempo certo de todas as coisas e costumo dizer que nao desisti dos meus sonhos apenas adiei.Vou voltar um pouco ao tempo e vou te contar quais foram nossas privaçoes pouco tempo apos nos casarmos eu gravida de poucos meses tivemos que ir morar com meus pais, meu pai era um doce de candura meu heroi minha inspiraçao motivo ate de poesia a qual eu ganhei em primeiro lugar em concurso regional de poesia, ja a minha mae sempre foi esterica e desenvolveu um problema mental chamado transtorno bipolar ela nos maltratava muito nos expulsava de casa e meu paizinho que faleceu a dois anos ficava tentando ameniza eu nao respondia apenas chorava,teve uma vez que no oitavo mes de gravidez ela me chingou e falou que era para ir embora da casa dela eu desmaiei e quase perdi meu filho as vezes voce pode achar que estou ezagerando mas dentre os meus meus cinco irmaos todos remoem algum tipo de magoa dela e verdadeira paixao pelo nosso amado pai que se foi; graças a Deus o Senhor tirou de mim toda magoa que com certeza era unica coisa que me impedia de ser feliz. Tivemos mais um filho e nos mudamos de Acreuna para Santa Helena de Goias onde meu esposo tinha algumas tia ele arranjou um emprego em uma grande industria que fica aqui em Rio Verde Goias onde posteriormente nos mudamos ,ele ficou durante algum tempo vindo em um onibus que trazia os funcionarios de la pois e apenas vinte minutos de viagem pra ca, ate que decidimos nos mudar pra ca para Rio Verde onde nossa vida melhorou muito ele esta ate hoje nessa empresa sa fazem 8 anos, minha irma e meu irmao ja estavam morando aqui e nos ajudaram muito quando precisamos.

    E.A.L.

    ResponderExcluir
  4. Parte II

    Poço te falar que nos somos um casal abençoado por Deus; nos sofremos muito fomos dispejados pela minha propria mae, ja vi meus filhos pedir o leite e nao ter ,mas hoje graças a Deus temos fartura nao nos falta nada a nao ser nossa casa, eu sei o que voce passou querido irmao mas te tigo Deus nos prepara primeiro para recebermos as bençaos a qual pedimos, sofri muito por nao ter casa mas hoje agradeço a Deus por poder pagar o aluguel de uma casinha confortavel, fizemos escriçao de uma casa convenio da caixa economica com a prefeitura ore por mim querido irmao porque eu estou sentido que chegou a minha vez o Senhor me preparou agora acho que estou pronta para receber eu ja passei por todos os vales possiveis pela fornalia e pelo deserto mas de todos esses lugares o Senhor me livrou, quero minha casa ore por mim eu estou fazendo campanha em prou disso, espero em breve poder te contar meu testemunho que fui contemplada com a minha casa propria. Por hora estou feliz na minha cidade eu so conceguia seviço de domestica, aqui ja trabalhei de vendedora em varias lojas alguamas de renome no Brasil, hoje tenho um bom emprego no estado dado pelo Senhor assim que reconciliei e voltei para a Igreja mas exatamento no dia seguninte, o pastor da minha igreja me colocou a frente do ministerio de missoes , para nao dizer com o cargo, porque eu nao gosto dessa palavra.Tenho aprendido muito com suas postagens e te peço sugestoes pois ,acho que estou deixando a desejar tenho muitas ideias e muita vontade de fazer mas acabo nao colocando-as em pratica. Fico grata a Deus por minhas palvras ter te ajudado em determinado ponto de sua vida que a minha historia de vida te sirva combustivel para continuar sonhando e lutando com muita fe no Senhor pelos teus sonhos,sonhe sonhe sempre e saiba pode demora mas que os teus sonhos vao se realizar porque Deus e fiel para cumprilos , fique com Deus !!!!!!!!



    E.A.L.

    ResponderExcluir

Irmão ou amigo, faça seu comentário. Alguns comentários podem ser apagados..... Você tem liberdade de escrever o que quiser, porém, sua liberdade está condicionada ao senhorio de Jesus Cristo, às Santas Escrituras e aos objetivos do blog.