Pesquise em mais de 1800 postagens!

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Junte-se à conversa sobre Missão Urbana

Na época da grande conferência missionária de Edinburgh, em 1910, Londres era a única cidade grande do mundo. Naquele tempo, nove porcento da população mundial viviam em áreas urbanas. Em 1950 (apenas 50 anos depois) 25 porcento da população do mundo viviam em cidades e 73 porcento da população do mundo vivia na terra. 1996 marcou o amanhecer do Mundo Urbano, quando, pela primeira vez na história humana, mais de 50 porcento da população da terra vivia em cidades. O crescimento continua. Em todo o mundo, as cidades ganham um milhão de pessoas por semana. As Nações Unidas – que faz uma conservadora estimativa de crescimento – prevê que até 2025 mais de 60 porcento dos estimados 8,3 bilhões da população mundial viverão em áreas urbanas.

De acordo com o World Heritage Centre (Centro da Herança Mundial), até 2020 a população urbana da Ásia será em torno de 2,5 bilhões, o dobro de 25 anos antes. Nessa época, mais da metade das áreas urbanas do planeta estará na Ásia e somente nessas áreas urbanas haverá mais de um terço da popoulação mundial. A mesma organização prevê que as cidades da Ásia crescerão duas vezes mais rapidamente do que outras cidades do mundo.

Certamente Deus tem um propósito nisso.

Nessa conversa sobre Missão Urbana, queremos explorar as dimensões globais da urbanização e o que será necessário para mobilizar congregações nas 250 maiores cidades/regiões do globo para novas formas de testemunho e engajamento cristãos. Segundo, observaremos as questões contextuais. Isso inclui as implicações do tribalismo e da desorientação étnica em cidades africanas e a causa do testemunho cristão para a próxima década. Também olharemos para as questões mais importantes em missões com comunidades em favelas na Ásia e na América Latina.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmão ou amigo, faça seu comentário. Alguns comentários podem ser apagados..... Você tem liberdade de escrever o que quiser, porém, sua liberdade está condicionada ao senhorio de Jesus Cristo, às Santas Escrituras e aos objetivos do blog.