Pesquise em mais de 1800 postagens!

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

A Origem e a Cura dos Pecados do Coração - William Gurnall


 “Porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e, sim, contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes” (Ef 6.12).

 O apóstolo Paulo nos adverte a respeito de uma guerra contra potestades invisíveis do mal que induzem ao pecado, na qual os santos estão envolvidos durante todo o tempo em que vivem neste mundo. Existem espíritos maus que são responsáveis principalmente por induzirem os santos à“maldade espiritual”. Nenhum pecado pode ser cometido sem ocasionar consequências espirituais, mas alguns são mais especificamente “espirituais” do que outros. Como exemplo, podemos citar os pecados que são mantidos dentro dos limites do coração. Paulo os chama de impureza do espírito, distinguindo-os da impureza da carne: “Tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda impureza, tanto da carne, como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus” (2 Co 7.1).




 Pecado no Coração

 Quando o espírito ou o coração é o ambiente em que o pecado é praticado, trata-se de algo espiritual. Incluem-se nessa categoria todos os pensamentos impuros, afeições e desejos desprezíveis que não produzem ações exteriores mas que são, mesmo assim, atos verdadeiros do homem interior. Assim como em todo o pecado, Satanás é o grande e invisível instigador de cada pecado do coração.

 Quando pensamentos e sentimentos que são claramente desagradáveis a Deus começam a invadir sua mente ou coração, o que você pode fazer? Você não quer ser crítico – mas é; você não quer cobiçar – mas está cobiçando. Como você pode pegar essas pedras de tropeço que Satanás joga no caminho dos seus pensamentos e utilizá-las para erigir um monumento de glória ao Pai? De duas maneiras específicas: mantendo severa vigilância do coração e resistindo firmemente aos pecados que dele procedem.

 Primeiro, mantenha severa vigilância do coração. Que tipo de acolhida Satanás encontra quando ele vem com essas “maldades espirituais” e convida você a dar atenção a elas? Eu não pergunto se tais convidados entraram por sua porta. Se tivéssemos a capacidade que Deus tem de olhar dentro do coração do homem, veríamos sinais dos piores pecados em cada cristão. Que tais pecados foram lançados no campo do nosso coração, nós já sabemos; sabemos também quem os jogou – o terrível semeador, Satanás. O que é importante saber é se ele encontrou terreno fértil em nós ou se, com oração fervorosa e determinação, jogamos o óleo do Espírito sobre as sementes do mal, ainda no primeiro estágio, e riscamos um fósforo, de tal maneira que fossem consumidas com fogo santo.

 Agora, precisamos entender que Satanás é insidioso, matreiro. Muitas pessoas que ficariam horrorizadas ao verem pecados espirituais operando na clara luz do dia na forma de lascívia e desejos carnais, podem ser facilmente ludibriadas a ponto de lhes abrirem as portas dos aposentos privados como se fossem hóspedes de honra. Que membro proeminente da igreja apareceria andando na cidade de braço dado com uma prostituta? Entretanto, no santuário íntimo do coração pode ser que o mesmo indivíduo reto e moral alimente livremente seus desejos impuros. A maioria de nós jamais cometeria um assassinato, mas quantas e quantas vezes amarramos um vizinho na viela escura dos pensamentos e o despedaçamos membro por membro, satisfazendo o desejo de vingança por causa de uma discussão trivial?

 Amigo leitor, é imperativo que compreenda isto: quando pensamentos maus ou impuros começam a invadir sua mente, você ainda não pecou. Até aqui foi apenas o trabalho de Satanás! Mas, se levar um passo adiante, ainda que seja oferecer apenas uma cadeira para entabular uma conversação educada, você já se tornou cúmplice, participante do mal. Num curto espaço de tempo, esses pensamentos ou intenções terão encontrado abrigo no seu coração. A sua promessa – de não ceder a uma tentação que já está começando a acolher – não é páreo para Satanás e para os desejos da carne.

 Sua confiança precisa estar baseada neste fato: pensamentos impuros não permanecem onde o amor de Cristo reina supremo. Quando expostos à sua conversa com Jesus, sentem tanto pânico quanto sentiria um assassino foragido ao perceber que acabou de ser reconhecido na cidade. E têm toda razão de entrar em pânico – porque os seus pensamentos renovados (inflamados com o fervor e o ciúme do Espírito Santo) perseguirão aqueles pensamentos malignos e os matarão de imediato. Tanto o julgamento quanto a sentença serão sumários.

 Resista ao Pecado no Coração

 Em segundo lugar, resista firmemente aos pecados do coração, evidenciando assim onde está sua lealdade. Precisamos ser lembrados constantemente que os pecados do coração são tão pecados quanto os outros: “O pensamento do tolo é pecado” (Pv 24.9). Cada pedacinho do inferno é inferno! Luxúria, inveja e assassinatos são pecados quando cometidos no coração da mesma maneira como se fossem um ato exterior. Tais pensamentos não podem correr soltos num cristão sem sérias consequências. Seu espírito é a habitação do Espírito Santo, que requer todo o coração para poder permanecer ali. Quando ele vê que você sublocou alguns cômodos para as luxúrias e cobiças do diabo, ele entende que é hora de ir embora. Se você preza a presença do Espírito Santo, declare a sua lealdade a Cristo logo na primeira batida de Satanás na sua porta, renunciando a qualquer pensamento que não esteja em submissão a Deus.

 Você entende por que os pecados do coração podem ser ainda piores do que os que são cometidos por meios físicos? Quanto mais o coração e o espírito estiverem envolvidos em qualquer ação do mal, pior é. E quanto mais estiverem envolvidos em qualquer ação santa, mais bondade verdadeira existe nela – mesmo que os homens não pensem assim. Entre todos que ofertaram aquele dia, as duas moedas da viúva representaram a melhor dádiva, de acordo com Cristo. Por quê? Não porque a ação externa excedesse às de outros doadores, mas porque o ato interno do seu coração ultrapassou o de todos eles!

 Deixe Satanás esbofetear seu coração com suas vis imaginações. Tentar parar as rajadas dele é tão inútil quanto tentar impedir a chegada de um furacão. Contudo, você pode, isto sim, tomar precauções adequadas antes que a tempestade de maus pensamentos se aproxime.

 Primeira precaução: Lacre as janelas do coração com a oração. Se a língua é tão indisciplinada e difícil de ser domada, o que dizer da mente – onde os pensamentos voam com a frequência e rapidez de abelhas que fogem de uma colméia derrubada? Aqui reside o segredo: para controlar seus pensamentos, peça a Cristo para controlar seu coração.

 Quantas vezes Davi clamou a esse respeito! Ele sabia que o controle do coração estava além de sua habilidade ou força. Mas ele contava com a promessa de Deus de ajudá-lo, como você também pode contar se é filho de Deus. “O Senhor firma os passos do homem bom, e no seu caminho se compraz” (Sl 37.23) “Toda palavra de Deus é pura; ele é escudo para os que nele confiam” (Pv 30.5).

 Como é que você se sentiria, como um pai terreno, se visse o filho sendo arrastado pelas águas de uma inundação, e ele recusasse sua ajuda para conduzi-lo à segurança? Deve ser assim que nosso Pai celestial se sente quando as ondas da tentação ameaçam nos sobrepujar, e nós nos recusamos a agarrar-nos à sua promessa de tomar-nos em seus braços e levar-nos a um lugar seguro, longe do tumulto.

 Você vai precisar orar mais e com mais fervor do que nunca quando for chamado a executar uma tarefa que requeira um contato mais próximo do que o normal com o mundo. É ali que os pensamentos de Satanás atacarão como uma praga de gafanhotos. Primeiro, tenha certeza de que está cuidando dos assuntos de Deus e não de seus próprios. A promessa de Deus de protegê-lo tem uma condição: “Confia ao Senhor as tuas obras, e os teus desígnios serão estabelecidos” (Pv 16.3). Não tente defender-se das investidas violentas de Satanás com sua própria força. Diga para Deus que está com medo do que possa acontecer se ele não interceptar esses pensamentos do mal. Faça dele o censor de seus pensamentos, e você não terá mais com que se preocupar. O braço do diabo não é suficientemente longo para alcançá-lo quando você se coloca, por meio de oração fervorosa, debaixo da sombra do Todo Poderoso.

 Segunda precaução: Ponha uma guarda forte ao redor dos seus sentidos externos. Satanás voa acima de nós, procurando um lugar bom para aterrissar, tal como os olhos ou ouvidos de alguém, que lhe dêem fácil acesso ao homem interior. Assim como o ar estagnado polui tudo ao redor, da mesma forma pensamentos perniciosos corrompem todo o indivíduo. Tenha cuidado para respirar ar limpo! Quanto aos olhos, mantenha-os voltados para o céu. Objetos libidinosos causam pensamentos libidinosos. Da mesma maneira, objetos santos não gerarão pensamentos santos?

 Terceira precaução: Inspecione seu coração diariamente. Tire tempo, todos os dias, para refletir sobre os pensamentos que determinaram suas atitudes e ações naquele dia. Um professor não chama a classe à ordem, para então se afastar da sala pelo resto do período de aula. Por quanto tempo você acha que os estudantes permaneceriam nas suas carteiras, ocupados com trabalho produtivo? O ruído de suas badernas logo encheria os corredores de toda a escola. Seu coração tem a mesma tendência de um aluno indisciplinado. Grande parte do barulho impuro que surge nele (raiva, inveja, impaciência, amargura e tudo o mais) é porque você o deixou por conta própria. A mente é a sala de aula do corpo; o coração é o estudante. Tome cuidado com o tipo de aprendizado que está ocorrendo.

 Aqui está uma maneira rápida de checar o coração. Seus pensamentos são bons ou maus? Quando bons, você reconhece que vieram de Cristo? Quando maus, você fica horrorizado e determinado a expulsar esses irritantes diabretes? Se for assim, você está mostrando que essas maldades espirituais provêm muito mais de Satanás do que de si mesmo.

 Além de pensamentos maus, há outros elementos que também devem ser recusados. São imaginações vãs, ocas, insignificantes. Embora talvez não as considere abomináveis em si mesmas, ainda assim elas o afastam de algo bem melhor. E quem entre nós tem tempo para jogar fora nesta vida? Como a água que corre ao lado do moinho, cada pensamento que não o ajuda a fazer o trabalho de Deus é desperdiçado. A abelha não vai pousar numa flor que não tenha néctar. Nem deveria o cristão abrigar um pensamento que não alimente seu espírito.

 Mesmo os bons pensamentos não são inacessíveis às maquinações de Satanás. Por exemplo, você pode sentir grande peso e culpa pelos pecados e honestamente chorar por eles diante do Senhor. Entretanto, se você se consumir pelo remorso, estará em grande perigo de perder a fé na gloriosa promessa de Deus de redimi-lo pela sua graça. Ou, talvez, seus pensamentos sejam voltados para as necessidades e os cuidados da família. Prover para os seus, com certeza, é bíblico. Mas você pode preocupar-se tanto com essa responsabilidade que se esquece que Deus é o verdadeiro provedor, o que, mais uma vez, é uma séria deficiência de fé.

 Somos ensinados a buscar e observar todo o conselho de Deus. Que vantagem haverá se você concentrar em um dos mandamentos de Deus, que considera seu favorito, se desprezar os demais? Seria tão desastroso quanto uma cirurgia que visasse restaurar o fluxo de sangue numa pequena veia do paciente e que, no processo, cortasse uma artéria importante. Tal descuido resultaria no mínimo em deformidade do paciente, senão em morte imediata. Sua alma é uma criatura delicada e exige habilidade máxima para manter o equilíbrio. Esteja em vigilância constante para que não haja concentração desmedida em uma ou duas das ordenanças de Deus em detrimento das outras.

 “Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau, e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis” (Ef 6.13).

 Extraído de The Christian in Complete Armour: Volume One (O Cristão com Armadura Completa: Volume Um), por William Gurnall. Publicado com permissão de “Banner of Truth”, P.O. Box 621, Carlisle, PA 17012, EUA.

 William Gurnall (1616-1679) foi um pregador e escritor puritano muito respeitado.


Fonte: O Arauto da Sua Vinda, Ano 26 nº 6 - Novembro/Dezembro 2008

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmão ou amigo, faça seu comentário. Alguns comentários podem ser apagados..... Você tem liberdade de escrever o que quiser, porém, sua liberdade está condicionada ao senhorio de Jesus Cristo, às Santas Escrituras e aos objetivos do blog.