Pesquise em mais de 1800 postagens!

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Liberdade religiosa no Bangladesh

Conheça a liberdade religiosa em Bangladesh. Países da janela 10 x 40 serão detalhados. Cada mês, um país. Em julho foi Afeganistão, em agosto estamos conhecendo Bangladesh, em setembro conheceremos a liberdade religiosa em Butão. Em outubro, será a vez da Índia. Em novembro, Cazaquistão.


Bangladesh

Relatório Internacional de Liberdade Religiosa 2008

A Constituição estabelece o Islã como religião do Estado. Prevê-se o direito de professar, praticar ou propagar todas as religiões, sob reserva de lei, ordem pública e aos bons costumes. Também afirma que cada comunidade religiosa ou denominação tem o direito de estabelecer, manter e gerir as suas instituições religiosas. Embora o Governo apoie publicamente a liberdade de religião, ataques a minorias étnicas e religiosas continuam a ser um problema durante o período observado por este relato. Ao contrário de períodos anteriores, não foram relatadas manifestações ou tentativas de sitiar instituições Ahmadiyya , mas houve casos de assédio. A exigência dos Ahmadis de se declararem  não-muçulmanos continuou esporadicamente, mas geralmente o Governo agiu de uma forma eficaz de proteger Ahmadis e os seus bens.  A religião exerceu uma influência significativa sobre a política, e o governo foi sensível a consciência islâmica da maioria dos cidadãos.
 
Não houve mudança no status do respeito pela liberdade religiosa por parte do Governo durante o período do relatório. Cidadãos são, em geral, livres para praticar a religião da sua escolha. Funcionários do Governo, incluindo a polícia, foram no entanto muitas vezes ineficazes na defesa da ordem e às vezes  lentos para assistir a minoria religiosa que foram vítimas de assédio e violência. O Governo e muitos líderes da sociedade civil afirmam que a violência contra as minorias religiosas normalmente tinham motivações políticas ou econômicas e não podiam ser atribuída apenas à crença religiosa ou afiliação.
 
Houve relatos de abusos sociais e discriminação com base na crença ou prática religiosa  durante o período abrangido por este relatório. Hindus, cristãos, minorias budistas experimentam discriminação e, por vezes, violência da maioria muçulmana.  
 
O governo dos E.U.A. discute liberdade religiosa com o Governo como parte da sua política global de promoção dos direitos humanos. Em reuniões com funcionários e em declarações públicas, oficiais da embaixada norte americana incentivam o Governo a proteger os direitos das minorias. Publicamente e privadamente, a Embaixada denuncia atos de intolerância religiosa e exortou ao Governo que pretende assegurar o devido processo para todos os cidadãos. O Embaixador e sua equipe tem feito diversas visitas a comunidades religiosas minoritárias em todo o país. Os  Governo dos E.U.A. patrocinou a visita de um proeminente clérigo muçulmano que falou ao público sobre interpretações do Corão que apoiam a tolerância e a igualdade entre os sexos.
 
Seção I. Demografia Religiosa
 
O país tem uma área de 144 mil quilômetros quadrados, e sua população é 154 milhões. Segundo o censo de 2001, muçulmanos sunitas constituem 89,7 por cento da população e hindus representam 9,2 por cento. O resto da população é principalmente cristã (principalmente católica romana) e budista Theravada-Hinayana . Comunidades das minorias étnicas e religiosas, muitas vezes sobrepostas, foram concentradas na província de Chittagong e regiões setentrionais. Budistas encontram-se predominantemente entre os índios (não bengali) das populações de Chittagong. Os Bengali e a minoria étnico-cristã vivem em muitas comunidades por todo o país, em cidades como Barisal e Gournadi, Baniarchar em Gopalganj, Monipuripara em Dhaka, Christianpara em Mohakhal, Nagori em Gazipur, e Khulna. Existem também pequenas populações de muçulmanos chiítas, sikhs, bahais, animistas e Ahmadis. Estimativas do seu número variou de alguns milhares de adeptos a 100 mil por grupo. Não há comunidade judaica, nem uma significativa população judia imigrante. A religião é uma parte importante da identidade da comunidade para os cidadãos, incluindo aqueles que não participam activamente nas orações ou serviços.

A maioria dos indivíduos classificados como residentes estrangeiros praticam o Islã.  Existem cerca de 30.000 refugiados Rohingyan praticando o Islã no sudeste próximo de Cox's Bazar. Não havia nenhuma estimativa confiável do número de missionários.  Vários organizações não-governamentais (ONGs) de fundo religioso operam no país.

Aerial View of the Overcrowded Streets of Dhaka, Bangladesh

Texto extraído do Relatório Internacional de Liberdade Religiosa de 2008 do Departamento de Estado dos Estados Unidos da América (aqui).

Traduzido eletronicamente pelo Google com várias alterações realizadas por mim.

Gráfico criado a partir de dados do texto. 

2 comentários:

  1. Oi Gilson,
    Quanto a sua pergunta sobre o Live Traffic Feed, no meu blog não acontece nenhum problema que vc falou.
    Mas a plataforma do meu é o BLOGGER, e o seu pelo visto é outra. Seria interessante perguntar isso em algum serviço de ajuda do seu servidor.

    Até mais,
    Adriana

    ResponderExcluir
  2. Olá Adriana

    Obrigado pela resposta. A minha plataforma é Blogger também.....

    Quando você abriu o meu blog, apareceu uma janela do Big Church?

    Gilson

    ResponderExcluir

Irmão ou amigo, faça seu comentário. Alguns comentários podem ser apagados..... Você tem liberdade de escrever o que quiser, porém, sua liberdade está condicionada ao senhorio de Jesus Cristo, às Santas Escrituras e aos objetivos do blog.