Pesquise em mais de 1800 postagens!

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Perguntas para Sondar Corações Despertados - Joshua Bradley

Você tem ansiado por um despertamento espiritual em sua vida? Se sua resposta for afirmativa, as perguntas abaixo devem provocar em seu coração um novo senso de fervor para que o grande poder de Deus acenda uma chama em sua vida.

1. Você tem se enxergado, em suas ações e na sua inclinação natural, como um miserável pecador? Tem percebido que seu próprio coração e sua própria vontade são a fonte de seus pecados e que não há em você mesmo nada de bom? Esse quadro já o levou a compreender que é absolutamente impotente para livrar-se, sozinho, de qualquer falha ou fraqueza e que é, portanto, inteiramente dependente de Cristo para sua salvação e do Espírito Santo para ter força e motivação para viver em retidão e graça como cristão?


2. Em que você baseia sua aceitação pelo Senhor? Ao seu novo estilo de vida, ao seu arrependimento pelos pecados, às suas orações, às suas lágrimas, à sua obediência e observância aos mandamentos? Ou tão somente a Cristo, por ser seu tudo em todas as coisas?

3. Até onde consegue discernir, você odeia seus pecados e deseja livrar-se totalmente deles, sem exceção de uma cobiça ou luxúria secreta sequer? Tem orado continuamente para se ver livre de todos os pecados? Mantém-se em alerta contra sua fraqueza específica e contra todas as tentações? Tem recebido vitória sobre elas? Está verdadeiramente arrependido dos seus tropeços, de forma a manter sua alma, de fato, em posição resoluta e contrária a eles?

4. Já avaliou o preço de seguir a Cristo e de ser verdadeiramente um dos seus discípulos? Já compreendeu bem que seguir a Cristo significa renunciar aos vãos prazeres, à satisfação dos seus desejos carnais e à conformidade com este mundo tenebroso? Sabe que seguir a Cristo pode expô-lo ao ridículo, ao desprezo e talvez até a perseguições mais sérias? Em vista de tudo isso, você está disposto a tomar sua cruz e seguir a Cristo para onde quer que ele o leve? A viver separado para Cristo, confiando em sua graça, e dando, a ele e ao seu povo, o primeiro lugar em sua vida?

5. Você ama estar completamente rendido a Cristo? Ama a retidão? Ama ao Deus Santo e, por causa da sua santidade, deseja ardentemente viver cada vez mais em conformidade com a sua Lei de liberdade e amor? Tem procurado – e encontrado – aqueles momentos de comunhão a sós com seu Senhor e Salvador?

6. Está decidido, pela graça e força de Deus, a cumprir com rigor todas as suas obrigações para com ele, para com seu próximo e para com você mesmo? Você realiza suas tarefas do dia-a-dia como parte de sua devoção para com Deus?

7. Você reserva conscientemente uma parte do seu dia para oração a sós com Deus? Sente-se, às vezes, sem motivação e frio em sua vida de oração? Em outras ocasiões, sente grande prazer nela? Você tem um tempo certo, um lugar e um objetivo claro para isso em sua vida? Sente um fervente espírito de oração por todas as grandes necessidades que o cercam?

8. Você tem lido diariamente a Palavra de Deus de forma atenta e concentrada? Gosta de ler a Bíblia? Percebe a doçura de suas promessas e as advertências de suas repreensões? Considera que as Escrituras são importantes para as suas necessidades, desafios e fraquezas? Faz com que a Palavra de Deus seja a fonte de sua orientação e esforça-se para manter seu coração e sua vida em conformidade com suas doutrinas e preceitos?

9. Você vê a glória de Deus como o primeiro, o mais importante e o mais elevado objetivo de sua vida? Deseja promover a glória de Deus em sua família e em sua comunidade?

10. Sente a importância de fazer brilhar o amor de Deus em seu mundo através de um comportamento santo, exemplar e amoroso?

11. Receia trazer desonra ou vergonha à causa de Cristo? Considera essa possibilidade algo extremamente horrendo? Está vigilante para não se desviar nem se tornar frio ou insensível?

12. Deseja crescer na graça e no conhecimento de Cristo, cada vez mais? Tem desejo de sentar-se aos seus pés, como uma criancinha, e submeter suas idéias e sua compreensão ao ensinamento dele, convidando o Espírito a guiar você em toda a verdade e a livrá-lo de erros fatais? Além disso, está disposto a conhecer a verdade e a ser transformado mais e mais na semelhança dele?

Observações
Lembre-se de que essas perguntas têm o objetivo de chamar sua atenção para assuntos da maior importância. Não se limite a uma rápida olhada. Leia e medite atentamente em sua condição como cristão. Examine-se cuidadosamente à luz de cada uma das perguntas e deixe que seu coração suba até Deus. Provavelmente, não conseguirá sondar sua vida através de todas as questões de uma vez. Você pode dividi-las em grupos e estudar um grupo de cada vez. Tente examinar todas as questões dentro do prazo de uma semana e, depois, repita o processo periodicamente.

Se estiver em dúvida sobre algum ponto, ou achar-se deficiente em relação a qualquer das perguntas, não desanime. Tome nota da pergunta por escrito e pense sobre ela na próxima vez que estiver orando ou louvando. Empenhe-se e ore sobre esse assunto até ver claramente a resposta. Se seguir essa orientação, terá condições de lidar com as muitas armadilhas e tentações que surgirão em seu caminho.

Lembre-se: a oração a Deus no lugar secreto, a leitura da Palavra, a meditação e o auto-exame são os grandes passos para manter seu coração despertado em meio a esta geração perversa. A fidelidade nessas expressões de devoção ao Senhor estará em proporção direta com a sua paz interior e com a solidez de sua estrutura espiritual. Pense no caráter de Enoque e ande com Deus, como ele andou.

Não vá pensar que a grande vitória e alegria que sente agora o liberam de manter-se em constante vigilância no futuro. Nem que não precisa mais examinar e auscultar seu coração, até o fim de sua vida.

Muitos autores cristãos nos deram vislumbres do coração vitorioso e obediente a Cristo. Mas tudo que escreveram e pregaram pode ser resumido no seguinte: é preciso discernir qual a característica dominante do seu coração e se está, em todo o seu ser, crescendo em graça e em submissão. Se a resposta for positiva, alegre-se no Senhor; mas se for negativa, é motivo de ficar alarmado!

É de suma importância alertá-lo para o fato de que os frutos do Cristianismo não devem ficar restritos ao seu quarto de oração ou à sua igreja, embora sejam os locais em que sinta o maior conforto e liberdade.

O verdadeiro Cristianismo atinge todas as áreas da nossa vida. Ele transforma e purifica nossa personalidade. Melhora nossos modos. Perscruta cada dúvida, cada relacionamento, cada situação de sua vida. Se você entregou sua vida ao senhorio de Cristo, seu espírito será aperfeiçoado; você será um servidor melhor, um melhor estudante, amigo e cidadão. E, no cumprimento de qualquer tarefa, sempre servirá de exemplo.

Mas se sua fé em Cristo não permitiu que a graça de Deus produzisse esses resultados – embora você possa falar de paz interior e de profundas experiências espirituais – terá muita razão para temer que tudo que pensa sobre a sua salvação é ilusório e que não está seguindo de fato as pegadas de Jesus. Eis o que ele disse: “Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto; e assim vos tornareis meus discípulos” (Jo 15.8).

Tenha todo cuidado para não dar lugar à depressão. Seja bem-humorado e cultive a alegria do Senhor. Crie o hábito de estar alegre, mas evite a frivolidade. Seja muito humilde, mas não tímido. Não fale a esmo, nem com qualquer um. Prefira ouvir, especialmente quando há cristãos mais experimentados por perto. Esforce-se por todos os meios para divulgar a mensagem de Jesus entre seus amigos e parentes. Ganhe essas pessoas para o senhorio de Cristo por meio de sua personalidade amável e seu exemplo impecável. Fuja dos desejos e paixões da juventude. Resista aos rebuliços e estímulos sensuais do mundo. Evite a auto-satisfação, pois ela pode extinguir a sede espiritual.

Não se deixe desanimar se o mundo e o diabo o acharem ridículo e o reprovarem. Seu Salvador sofreu muito mais do que isso por você. Pense no seu sacrifício por você e não sinta vergonha de nada, a não ser que tenha vergonha dele. Confie na sua proteção. Viva para louvá-lo e repousará sempre na sua gloriosa presença.

Este artigo foi retirado do livro Accounts of Religious Revivals from 1815 to 1818 (Considerações sobre os avivamentos religiosos de 1815 a 1818), publicado em 1819 e reeditado em 1980 por Richard Owen Roberts.

Fonte: Arauto Ano 25 nº 1 - Janeiro/Fevereiro 2007

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmão ou amigo, faça seu comentário. Alguns comentários podem ser apagados..... Você tem liberdade de escrever o que quiser, porém, sua liberdade está condicionada ao senhorio de Jesus Cristo, às Santas Escrituras e aos objetivos do blog.