Pesquise em mais de 1800 postagens!

quarta-feira, 9 de julho de 2008

Como Reconhecer Uma Chamada de Oração - Wesley L. Duewel

Deus poderá impressionar fortemente sua mente com alguém. Isto pode acontecer no seu período de oração ou em algum outro momento durante o dia. Se já se ofereceu a Deus e se disponibilizou, e uma determinada pessoa surge repetidamente na sua mente, é provável que seja um alerta para orar por ela. Isto pode acontecer apenas ocasionalmente, mas quanto mais perto andar com Deus e se afinar com a voz dele, mais freqüentemente Deus o usará desta maneira.

Você pode ter um pressentimento especial ou sentir apreensão de perigo ou necessidade. Vá imediatamente ao Senhor. Se for possível, pare um pouco com o que está fazendo. Enquanto orar, Deus poderá trazer à sua memória uma pessoa ou situação. Se isto não acontecer, simplesmente ore pela ajuda e misericórdia de Deus, seja qual for a necessidade.

No dia 12 de dezembro de 1939, enquanto orava pelo resultado da Segunda Guerra Mundial, senti incomodado particularmente por uma determinada situação. O Graf Spee, um navio mercantil alemão que fora convertido num navio de combate disfarçado, estava afundando muitos navios mercantis com grandes prejuízos em vidas humanas. Naquela noite senti uma especial autoridade de Deus para pedir a sua intervenção. No dia seguinte, o noticiário do rádio anunciou que o Graf Spee estava cercado no porto de Montevidéu, no Uruguai. Depois de alguns dias, o navio foi afastado do porto e afundado. Não houve mortes, a não ser do capitão, que preferiu descer com o navio. Provavelmente Deus tenha colocado esta mesma carga de oração sobre outras pessoas ao mesmo tempo que impressionou o meu coração. Mas tive a alegria de saber que Deus havia me dado um alerta de oração, e que depois a respondeu especificamente.
Deus pode lhe dar um senso de urgência para uma necessidade já bem conhecida. Pode ser que já tenha orado muitas vezes para uma determinada necessidade, mas agora está impressionado que Deus precisa responder sem mais nenhuma demora. Pode ser em favor de uma cura física, a salvação de alguém, a restauração de unidade entre pessoas divididas, ou a chegada de avivamento para algum lugar. Deus pode lhe dar um sentimento geral da necessidade de orar por vários dias, e depois em algum momento orientá-lo a separar um tempo especial para oração mais urgente e prolongada.

Deus pode progressivamente aprofundar uma determinada carga de oração até transformá-la na sua tarefa permanente. Deus precisa de vigias/intercessores permanentes para igrejas, missões, cidades, nações, e ministérios. "Sobre os teus muros, ó Jerusalém, pus guardas, que todo o dia e toda a noite jamais se calarão; vós os que fareis lembrado o Senhor, não descanseis, nem deis a ele descanso até que restabeleça Jerusalém e a ponha por objeto de louvor na terra" (Is 62.6,7).
Deus está afirmando que tem designado vigias de oração. Sem dúvida, o próprio Isaías era um destes, pois ele diz no versículo 1 do mesmo capítulo: "Por amor de Sião me não calarei e por amor de Jerusalém não me aquietarei; até que saia a sua justiça como um resplendor, a sua
salvação como uma tocha acesa". Você também pode ser um dos vigias de oração.

Todo obreiro cristão de tempo integral precisa de uma equipe de oração para estar ao seu lado, cobrindo-o e fortalecendo-o com intercessão. Todo ministério cristão precisa de uma equipe que carregue o peso junto, como guerreiros de oração. A eficácia de qualquer ministério dependerá da dedicação da equipe e do poder de oração que se mobilizar na sua retaguarda. Deus abençoará qualquer pessoa ou ministério à medida que se levantar em seu favor apoio sólido e deliberado de oração, e que os parceiros de oração forem meticulosamente informados e orientados para orar com união e objetividade. Feliz é a pessoa ou ministério que pode contar, não só com alguns voluntários para orar quando puderem, mas com vigias/intercessores que carregam uma preocupação constante no coração, como missão permanente.

Este foi o segredo do ministério de Charles Finney, que resultou em centenas de milhares de conversões ao Senhor, e cujas reuniões em 1858-1859 foram consideradas diretamente responsáveis por um dos maiores avivamentos da história. O próprio Finney era um poderoso homem de oração, e além dele havia outros que oravam em favor do seu ministério. Nas suas famosas palestras sobre avivamento, de um total de 22, quatro tratavam do papel da oração.
Quando Finney viajava de um lugar para outro, ele era acompanhado por dois homens idosos conhecidos como Tio Clary e Tio Nash. Quando ele foi para Inglaterra para ficar por várias semanas de reuniões especiais, estes dois homens de modestos recursos também viajaram para lá, alugaram um porão escuro e úmido por vinte e cinco centavos por semana, e permaneceram lá de joelhos, batalhando em oração. Suas lágrimas e gemidos em oração prevaleceram. Foram os vigias/intercessores de Finney.

Quando Evan Roberts foi tão poderosamente usado por Deus no grande avivamento do País de Gales em 1904-1905, havia um pequeno grupo de jovens que assumiram o papel de vigias/intercessores. Uma das minhas possessões mais prezadas é um postal de Evan a um dos jovens nesta equipe.

Fonte: Arauto Sua Vinda, ano 20, n°5

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Irmão ou amigo, faça seu comentário. Alguns comentários podem ser apagados..... Você tem liberdade de escrever o que quiser, porém, sua liberdade está condicionada ao senhorio de Jesus Cristo, às Santas Escrituras e aos objetivos do blog.