Pesquise em mais de 1800 postagens!

quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Adoração em Santidade - parte 5

A apóstola Valnice narra uma parábola escrita por Bill Beckman: A Parábola da Igreja de duas asas:





"Era uma vez uma Igreja criada com duas asas. Uma asa era para a celebração em grupos grandes e a outra era para a comunidade dos grupos pequenos. Utilizando ambas as asas, a Igreja conseguia voar alto e se aproximar da presença de Deus e ainda sobrevoar graciosamente toda a terra, preenchendo o propósito do Criador.


Um dia, uma enciumada e malvada serpente, que não tinha asa alguma, desafiou a Igreja a voar apenas com a asa do grupo grande. A serpente aplaudiu efusivamente quando a Igreja conseguiu levantar vôo (mesmo de forma desajeitada) e a convenceu de que, com muito exercício, ela conseguiria voar utilizando apenas uma asa. (Isso aconteceu durante o reinado de Constantino, 300 anos depois de o Criador ter usado a Igreja de duas asas para frustrar os planos da serpente malvada que não tinha asas).


A asa do grupo pequeno se tornou cada vez mais fraca por falta de exercício até atrofiar e tornar-se um apêndice sem vida e sem utilidade ao lado da asa exagerada do grupo grande. A Igreja de duas asas que havia planado nas maiores alturas tornou-se agora uma Igreja de uma asa, um pouco melhor do que a serpente que não tinha asa alguma.


O Criador da Igreja ficou muito triste. Ele sabia que o projeto de duas asas permitia a Igreja voar aos Céus, até a Sua presença e obedecer aos Seus comandos na Terra. Agora, com apenas uma asa, a Igreja tinha que fazer um esforço extra para conseguir levantar vôo. Mesmo dando um jeito de permanecer alada ela tendia a voar em círculos não muito longe de seu ponto de partida. Gastando mais e mais tempo na segurança e no conforto da sua gaiola, ela ficou gorda, preguiçosa e satisfeita com sua vidinha terrena.


De vez em quando, a Igreja lembrava que já havia voado com duas asas e sonhava com a possibilidade de fazê-lo novamente. Mas agora a poderosa asa do grupo grande tornou-se tão dominante que não aceitava nenhum tipo de auxílio da parte mais fraca. Era tarde demais.


O Criador finalmente construiu uma nova Igreja de duas asas. Ela tinha, outra vez, uma Igreja que podia voar até Sua presença e sobrevoar a Terra cumprindo os Seus propósitos".

Baseada em Atos 5:42 - "Todos os dias, no templo e de casa em casa, não deixavam de ensinar e proclamar que Jesus é o Cristo".

Sua Igreja tem as duas asas?

Adoração em Santidade - parte 4

Já vimos a respeito do livro Adoração em Santidade de Valnice Milhomens:

A Introdução;
A ofensiva do principado de Roma que deturparam e substituíram
a Igreja de Cristo;
Os moveres do Espírito que conduziram a Igreja ao caminho
correto.
Agora veremos um desses moveres de restauração com mais detalhes. Só um pouco! Compre o livro e leia, é uma bênção.

O assunto que a Valnice trata na página 91 do livro é de arrepiar os nossos irmãos em cristo tradicionais das igrejas históricas: a restauração dos dons ministeriais.

Efésios 4:11,12 - E ele deu uns como apóstolos, e outros como profetas, e outros como evangelistas, e outros como pastores e mestres, tendo em vista o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo;

A Igreja em seu início tinha pessoas com esses dons espirituais próprios para o aperfeiçoamento dos santos: apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres. O principado de Roma deturpou todos esses dons ministeriais.
Com a Reforma, surge o pastor. Sua imagem é restaurada. Se o pastor, que é um dom para o ministério foi restaurado, porque os outros dons ministeriais não podem?

Com o mover pentecostal, a figura do Evangelista é restaurada. Distingue0se Pastores de Evangelistas. O Evangelista evangeliza e converte multidões que os pastores pastoreiam.

Com a Renovação Espiritual os Mestres são Restaurados. Mestres ensinam Evangelistas e Pastores além dos demais irmãos.

É claro que Pastores também ensinam e evangelizam.
É claro que Evangelistas pastoreiam e ensinam.
É claro que Mestres também evangelizam e pastoreiam.
A diferença está no chamado pessoal e na unção de Deus para que a obra dEle acelere!

Na década de 80 começou um Mover Profético que restaurou o dom ministerial do Profeta.

Na década de 90 o Apóstolo começou a ser restaurado. O Apóstolo é aquele que discipula pastores com uma meta clara e objetiva de evangelizar uma região, ou a nação.

Veja que comparação legal: observe a sua mão esquerda (ou a direita, tanto faz).

O dedo polegar representa o dom ministerial do Apóstolo. O dom que toca todos os outros dons!
O dedo indicador representa o dom ministerial do Profeta. O dom que aponta os erros!
O dedo médio representa o dom ministerial do Evangfelista. O maior dom em importância primária: povoar os céus!
O dedo anular representa o dom ministerial do Pastor. O dom do amor e da paciência (figura do anel de casamento!).
O dedo mínimo representa o dom ministerial do Mestre. O dom que cutuca as mínimas coisas!

Continua...

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Adoração em Santidade - parte 3

Vamos ver agora a estratégia do Espírito Santo contra essa investida contra a Igreja.

Valnice Milhomens conta alguns moveres do Espírito em seu livro Adoração em Santidade:

a) Mover Protestante. A Reforma veio de dentro! Lutero era padre! Uma das bases da reforma: "o justo viverá pela fé" (Rm. 1:17). A salvação não é pelas obras, não é comprada, é dom de Deus. Foi o início de uma grande revolução. Um bebê que nascia.

b) Mover Batista. O Batismo é apenas por imersão e somente a pessoa com consciência de seu pecado, ou seja, uma experiência pessoal. Algumas denominações batizam crianças até hoje! Além disso estabeleceu a Bíblia como única regra de fé e prática. Tradições? Tô fora! Uma meninota que cresce a cada dia.

c) Mover Metodista. A bandeira da santidade. Uma dolescente linda que desponta!

d) Mover das Missões Modernas. Com Carey a Igreja se abre para os povos, sai da Europa e américa do Norte e se espalha para todo o globo. Uma moça linda avança!

e) Mover Pentecostal. O Espírito Santo derrama seu poder na Igreja. para cumprir a grande comissão. A noiva na vida adulta!

f) Mover da Renovação Espiritual. O poder do Espírito Santo é derramado nas denominações históricas: batistas, presbiterianos, metodistas e tantos outros!

g) Mover Celular. A Igreja muda sua estrutura! Não só nos templos, mas também, nas casas! Cada discípulo um ministro, cada casa uma igreja!"

Concomitante com esses moveres, o Espírito providenciou outros moveres:

1) Batismo no Espírito Santo;
2) Cura Física;
3) Renovação Espiritual;
4) Louvor e Adoração;
5) Batalha Espiritual;
6) Libertação;
7) Cura Interior;
8) Etc.

Outras áreas foram restauradas, vamos ver isso na próxima postagem.

Adoração em Santidade - parte 2

Vamos ver a influência do principado de Roma na igreja primitiva.

Mesmo com a perseguição a igreja triunfou. A igreja se reunia nas casas, os grupos caseiros ou células. As pessoas eram salvas, consolidadas, discipuladas e enviadas a ganharem mais almas para Jesus. Os cristãos chegaram até a ganhar pessoas da família do imperador.





Igreja Vitoriosa!


No campo do maligno, havia o questionamento, como derrotar a igreja?



Se não pode com ela, junte-se a ela!



Estratégias do maligno:



a) A igreja deixou de ser perseguida para ser a igreja da situação. A rejeição trocada pela comodidade! Quando eram perseguidos, oraram para que Deus desse ousadia e não o livramento da perseguição!



Atos 4:29,30 - Agora pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças, e concede aos teus servos que falam com toda a intrepidez a tua palavra, enquanto estendes a mão para curar e para que se façam sinais e prodígios pelo nome de teu santo Servo Jesus.



De perseguida passou a ser perseguidora. Perseguia os pagãos que não queriam ser cristãos. Conversões genuínas deram lugar às conversões forçadas. Levas de pagãos entraram na igreja sem a legítima conversão.



b) Deixou as exigências do discipulado e seguiu a cristianização em massa. Para os pagãos que já estavam acostumados a adorar vários deuses, um a mais não fazia a diferença. Multidões entraram na igreja. Discipulado substituído pela religiosidade.



c) Deixou o poder do Espírito pelo poder da estrutura. Manifestações sobrenaturais do Espírito substituídas pela estrutura humana. O poder explosivo do Espíriyo Santo virou lenda! Já ouviu a frase: "as manifestações do Espírito se encerraram com a morte dos apóstolos, não são mais necessários!".



d) Deixou a autoridade espiritual pela autoridade temporal. A autoridade do cabeça da Igreja que é Cristo pelo cabeção da igreja, que é ....



e) Deixou a liberdade de culto no Espírito, pela liturgia. Liberdade do Espírito pelo engessamento da liturgia (programa de culto).



f) Deixou o sacerdócio universal pelo sacerdócio do clero. Os crentes passaram a ser divididos em duas classes: o clero (padres, bispos, cardeais e papa) e o leigos.



g) Deixou a adoração a Deus pela adoração do panteão greco-romano. Os deuses grego-romanos foram camuflados nos santos. Tais santos foram pessoas honradas que verdadeiramente serviram ao Senhor. Mas adorá-los, não dá para aceitar! Substitutos ao Deus verdadeiro. Os pagãos adoravam tantos deuses, mas, tinham os seus preferidos. Camuflaram seus deuses nos santos. Por exemplo, uma rainha dos céus (Diana) por outra rainha dos céus (a entidade chamada de Maria). Diana/Artemis era filha de Zeus e era eternamente virgem!

Veja este trecho de um artigo de um site dedicado à deusa Diana/Artemis:





Sua festa anual na Itália era comemorada no dia 13 de agosto. Neste dia os cães de caça eram coroados e os animais selvagens não eram molestados. Bebia-se muito vinho e comia-se carne de cabrito, bolos servidos bem quentes e maçãs ainda pendentes dos ramos. A Igreja Católica santificou esta grande festa da Deusa virgem, transformando-a na festa católica da Assunção da Nossa Senhora, a 15 de agosto.






Igreja quase derrotada!


Na próxima postagem, vamos falar do contra-ataque do Espírito Santo!

domingo, 28 de outubro de 2007

Adoração em Santidade - parte 1

Estou lendo um livro maravilhoso e quero escrever algumas postagens para incentivar a leitura dele.



Comprar livros é sempre bom!



Custa aproximadamente R$22,00. Vale a pena investir em si mesmo. Dá até para debitar o valor no Imposto de Renda! Você morde o leão! Só deduzir o valor em Gastos em Educação para si mesmo.





Vamos fazer alguns comentários resumindo o livro Adoração em Santidade da Valnice Milhomens.



Ela indica a influência do principado de Roma para tentar matar a igreja.

Enfatiza que o principado de Roma não é a Igreja Católica Apostólica Romana, mas sim, um demônio que tentou (e conseguiu - em parte) aniquilar a igreja.



Vamos ver nos próximos posts a influência desse principado e o mover do Espírito para transformar seu Templo.



É uma bênção.

Cristãos de denominações históricas devem ler para entender o porque da manifestação do Espírito na virada do século XX.

Cristãos de Igrejas Pentecostais devem ler para se entender o porque da manifestação do Espírito nas décadas de 50 e 60.

Cristãos de Igrejas Neo-Pentecostais devem ler para se entender o porque da manifestação do Espírito na década de 90.

Cristãos de Igrejas Celulares devem ler para se entender o porque da próxima manifestação do Espírito!



Para deixar uma pergunta no ar:

A noiva de Jesus é uma bebezinha, ou menina, ou uma adolescente, ou uma mulher completamente formada?

terça-feira, 23 de outubro de 2007

Comitê Organizador das Olimpíadas 2008 proibe entrada de material religioso no país

Segundo informações de agências internacionais de notícias, o Comitê Organizador das Olimpíadas de 2008 (BOCOG, sigla em inglês), em Beijing, capital da China, emitiu comunicado, durante reunião das delegações olímpicas, vetando a entrada no país de “todo e qualquer tipo de material religioso” sem, porém, especificar que tipos de material seriam proibidos.

De acordo com o manual de conduta divulgado pelo Comitê, jornalistas, atletas e outros membros das delegações não poderão levar para a China “materiais usados para qualquer atividade religiosa ou política”, numa clara ação anti-evangelizadora durante os Jogos.

Membros das delegações nacionais presentes na reunião ficaram surpresos e afirmam que se trata da primeira vez em que normas desse gênero são introduzidas, por ocasião dos Jogos Olímpicos, já que muitos países integram, em suas delegações, capelães e outros líderes religiosos para a assistência espiritual dos atletas.

Após protestos formais, o BOCOG divulgou uma errata mudando a expressão inicial "materiais religiosos" para "materiais promocionais", além de ratificar que manifestações pessoais de fé (como levantar os braços ao céu, usar a cruz no pescoço ou, no caso da mulher muçulmana, o véu na cabeça) não serão impedidas Além disso, os organizadores garantem que na Vila Olímpica haverá espaço para “exercitar atividades religiosas de acordo com a lei chinesa”.

Os Jogos Olímpicos de Beijing serão realizados de 8 a 24 de agosto de 2008.

Fonte: JMM

sexta-feira, 19 de outubro de 2007

Aleluia! Jesus é Rei dos reis e Senhor dos senhores

Você consegue adorar a Deus com essa música?

Aleluia é uma transliteração do hebraico הַלְלוּיָהּ (Halləluya hebraico padrão), que significa "Louvem! Adorem! (הַלְּלוּ) Yah (Jah) (יָהּ)"(Wikipedia)

Precisa de tradução?
the lord God omnipotent reigneth (o Senhor Deus onipotente reina)
The kingdom of this world (o reino deste mundo)
is become the kingdom of our Lord, and of His Christ (tornou-se para o reino de noso Senhor e de Seu Cristo)
And He shall reign for ever and ever (e Ele reina para todo o sempre)

Vamos, solte a voz e cante mesmo em inglês!

A primeira linha da partitura é para os sopranos cantarem (mulheres com voz mais aguda - "fina");
A segunda linha é para os coltraltos (mulheres com voz mais grave - "grossa");
A terceira linha é para os tenores (homens com voz mais aguda);
A quarta linha é para os baixos (homens com voz mais grave).
As notas no alto das linhas devem ser cantadas em um tom mais agudo, as mais baixas, um pouco mais grave.

Ache seu tom de canto e siga as linhas. Não se preocupe com a afinação! Deus gosta de ser adorado, tanto por vozes melodiosas como por vozes desafinadas! Para um leigo na música cantar desafinadamente não representa "fazer a obra do Senhor relaxadamente".

Vamos lá! Tente! Você vai soltar lágrimas!

Leia sobre Handel
Leia mais sobre o oratório Messias de Handel

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Da Santidade à Hipocrisia - parte 5

Os fariseus foram chamados por Jesus de hipócritas, sepulcros caiados, etc. Jesus detonou com eles!

O principal capítulo que fala dos fariseus nos evangelhos é o 23º de Mateus. Vale a pena ler! Pegue a sua Bíblia e leia! Ou então, leia online no site da Igreja Batista do Caminho - TENDA!

No versículo 3 Jesus afirma: Todas as coisas, pois, que vos disserem que observeis, observai-as e fazei-as; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não fazem;

O que os fariseus ensinavam estava certo! Jesus assim disse! Mas, quanta diferença entre o falar e o fazer!

A Santidade nos leva a dizer sempre o que é correto! Falar o que é certo é fácil! Discernir o bem é fácil. É fácil saber o que é bom, mas, e quanto ao que é mal?

Em Hebreus 5:14 lemos: Mas o mantimento sólido é para os perfeitos, os quais, em razão do costume, têm os sentidos exercitados para discernir tanto o bem como o mal.

Discernir o bem e o mal. Os fariseus discerniam o que era bom, ensinavam assim, mas, não sabiam que as atitudes que eles tinham eram más.

Versículo 11 de Mateus 23: O maior dentre vós será vosso servo. Eles queriam ser os maiorais sobre o povo. O maior é o que serve e não o que é servido.

Versículo 25 de Mateus 23: Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que limpais o exterior do copo e do prato, mas o interior está cheio de rapina e de iniqüidade. Eles limpam o exterior, e isso é bom! Mas, limpar o interior também é! Na verdade é muito mais!

Discernir o mal!
Discernir o bem!
Os fariseus não faziam isso!

Você faz?

Como vimos, os Hasidim levaram a Santidade ao povo, mas as lutas os dividiram.
Os Hasidim se dividiram em dois grupos: os essênios e os fariseus.

Os Hasidim > Os Essênios [da Santidade ao Ostracismo]
Os Hasidim > Os Fariseus [da Santidade à Hipocrisia]

E quanto à você, meu querido irmão? Como está a sua vida?
Está em Santidade?
Está no Ostracismo?
Esta na Hipocrisia?

Vigie e ore! Eis que a vossa casa vai ficar-vos deserta (Mt. 23:38).

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Da Santidade à Hipocrisia - parte 4

Vamos ler o que a Wikipédia diz sobre os fariseus:


Origens e História
O nome fariseu vem do grego farisaioi, derivado do hebraico פרושים perushim . Esta palavra vem da raiz parash que basicamente quer dizer separar, afastar, explicar, esclarecer. Assim, o nome perushim é normalmente interpretado como aqueles que se separaram do resto da população comum para se consagrar o estudo da Torá e das suas tradições. Todavia, sua separação não envolvia um ascetismo, já que julgavam ser importante o ensino à população das escrituras e das tradições dos pais.
A origem mais provável dos perushim é que tenham surgido do grupo religioso judaico chamado hassidim (os piedosos), que apoiaram a revolta dos macabeusAntíoco IV Epifânio, rei do Império Selêucida, que incentivou a eliminação de toda cultura não-grega através da assimilação forçada e da proibição de qualquer fé particular. Uma parte da aristocracia da época e do círculos dos sacerdotes apoiaram as intenções de Antíoco, mas o povo em geral, sob a liderança de Yehudah Makkabi (Judas Macabeu ) e sua família revoltou-se. (168-142 a.C.) contra
Os judeus conseguiram vencer os exércitos helênicos e estabelecer um reino judaico independente na região entre 142 a.C.- 63 a.C., quando então foram dominados pelos romanos. Durante este período de 142-63 a.C., a família dos macabeusAsmoneus) não eram da linhagem de Davi, não podendo assim ocupar o trono de Israel, e também não eram da linhagem sacerdotal de Tzadok. estabeleceu-se no poder e iniciou uma nova dinastia real e sacerdotal, dominando tanto o poder secular como o religioso. Isto provocou uma série de crises e divisões dentro da sociedade israelita da época, visto que pela suas origens os Macabeus (também conhecidos pelo nome de família como
Grupos reacionários apareceram dentro da sociedade judaica, tentando restabelecer o seu prestígio e poder, ou pelo menos o que eles consideravam como certo segundo a Lei e tradições judaicas. Assim, foi nesta época que provavelmente apareceram: 1) Os tzadokim(saduceus), clamando ser os legítimos descendentes de Tzadok e portanto os legítimos detentores do sumo-sacerdócio e da lideranca religiosa em Israel; 2) os perushim (fariseus), oriundos dos hassidim que, geralmente, desiludidos com a política, voltaram-se para a vida religiosa e estudo da Torá, esperando pela vinda do Messias e do reino de Deus; 3) e os Essênios, oriundos provavelmente também dos "Hassidim" e de um grupo de sacerdotes descontentes com a situação que se afastaram da sociedade judaica em geral e foram viver uma vida de total consagração ao Criador na região do deserto a fim de preparar o caminho para a vinda do Rei Messias .
Os Perushim se agrupavam em "havurot", associações religiosas que tinham os seus líderes e suas assembléias, e que tomavam juntos as suas refeições. Segundo Flávio Josefo, historiador judeu do 1º século d.C., o número de perushim na época era de pouco mais de seis mil pessoas (Antigüidades Judaicas 17, 2, 4; § 42). Eles estavam intimamente ligados à liderança das sinagogas, ao seu culto e escolas. Eles também participavam como um grupo importante, ainda que minoritário, do Sinédrio, a suprema corte religiosa e política do Judaísmo da época. Muitos dentre os "perushim" tinham a profissão de sofer (escriba), ou seja, a pessoa responsável pela transmissão escrita dos manuscritos e da interpretação dos mesmos. Duas escolas de interpretação religiosa se desenvolveram no seio dos perushim e se tornaram famosas: a escola de Hillel e a escola de Shammai. A escola de Hillel era considerada mais "liberal" na sua interpretação da Lei, enquanto a de Shamai era mais "estrita".
O cristianismo perpretou através da história uma visão estereotipada dos "perushim" junto aos escribas e saduceus, como os adversários de Jesus, que ataca duramento seu orgulho, sua avareza, sua hipocrisia e, sobretudo, o perigo de crer que a salvação vem da lei.
No entanto os "perushim" eram uma seita de grande influência em Israel devido ao ensino religioso e político. Aceitavam a Torá escrita e as tradições da Torá oral, na unicidade do Criador, na ressurreição dos mortos, em anjos e demônios, no julgamento futuro e na vinda do rei Messias. Eram os principais mestres nas sinagogas, o que os favoreceu como elemento de influência dentro do judaísmo rabínico. após a destruição do Templo.
Os fariseus nos dão uma riqueza de associações com nossa vida cristã. Vamos ver isso nos próximos tópicos!




Da Santidade à Hipocrisia - parte 3

Acompanhe o que a Wikipédia diz sobre os essênios:

Essênios

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Os Essênios (Issi'im) ou Essénios, na grafia portuguesa européia, constituíam um grupo ou seita judaica ascética que teve existência desde mais ou menos o ano 150 a.C. até o ano 70 d.C. Estavam relacionados com outros grupos religioso-políticos, como os saduceus.
O nome essênio provém do termo sírio asaya, e do aramaico essaya ou essenoí, todos com o significado de médico, passa por orum do grego (grego therapeutés), e, finalmente, por esseni do latim. Também se aceita a forma esseniano.

História

Durante o domínio da Dinastia Hasmonéa, os essênios foram perseguidos. Retiraram-se por isso para o deserto, vivendo em comunidade e em estrito cumprimento da lei mosaica, bem como da dos Profetas. Na Bíblia não há menção sobre eles. Sabemos a seu respeito por Flávio Josefo (historiador oficial judeu) e por Fílon de Alexandria (filósofo judeu). Flávio Josefo relata a divisão dos judeus do Segundo Templo em três grupos principais: Saduceus, Fariseus e Essênios. Os Essênios eram um grupo de separatistas, a partir do qual alguns membros formaram uma comunidade monástica ascética que se isolou no deserto. Acredita-se que a crise que desencadeou esse isolamento do judaísmo ocorreu quando os príncipes Macabeus no poder, Jonathan e Simão, usurparam o ofício do Sumo Sacerdote, consternando os judeus conservadores. Alguns não podiam tolerar a situação e denunciaram os novos governantes. Josefo refere, na ocasião, a existência de cerca de 4000 membros do grupo, espalhados por aldeias e povoações rurais.
Adotaram uma série de condutas morais que os diferenciavam dos demais judeus:
  • vestiam-se sempre de branco;
  • aboliam a propriedade privada;
  • eram vegetarianos;
  • contrários ao casamento;
  • tomavam banho antes das refeições;
  • a comida era sujeita a rígidas regras de purificação.
Não tinham amos nem escravos. A hierarquia estabelecia-se de acordo com graus de pureza espiritual dos irmãos, os sacerdotes que ocupassem o topo da ordem.
Dentre as comunidades, tornou-se conhecida a de Qumran, pelos manuscritos em pergaminhos que levam seu nome, também chamados Pergaminhos do Mar Morto ou Manuscritos do Mar Morto. Segundo Christian Ginsburg (historiador orientalista), os essênios foram os precursores do Cristianismo, pois a maior parte dos ensinamentos de Jesus, o idealismo ético, a pureza espitirual, a abominação a propriedade privada e o coletivismo remetem ao ideal essênio de vida espiritual. A prática da banhar-se com frequência, segundo alguns historiadores, estaria na origem do ritual cristão do Batismo, que era ministrado por São João Batista, às margens do Rio Jordão, próximo a Qumram.
Esta última afirmação não tem comprovação escriturística (na Bíblia) e nem histórica. Nada a ver! Eles não cresciam biologicamente, os cristãos sim! Eles se ausentavam das obrigações sociais, os cristãos não. Eles eram vegetarianos, Jesus comia a páscoa (carneiro) e comia muitos peixes!
Como vimos, os essênios saíram do grupo Hasidim. Os Hasidim deram origem aos Fariseus e aos Essênios.
A busca pela Santidade levou-os ao ascetismo, ou seja, à retirada gradativa da sociedade. Os essênios formavam diversos grupos, cada um com sua prática ritualística. Não tinham apenas uma ordem, havia inúmeros grupos que praticavam coisas distintas, porém, com algumas coisas em comum. A Comunidade de Qunram era apenas mais uma dessas linhagens essênicas. O que vale para uma linhagem, não vale para as outras linhagens!
Os essênios nos dão um exemplo: a santidade não pode me excluir da minha estrutura de vida atual: minha família, amigos, etc.
A santidade deve transformar minha estrutura: família, amigos, etc.
A Igreja não é lugar de refúgio para nos livrarmos dos nossos. Temos que levar os nossos para lá! Não posso me esconder dos meus nos processos ritualísticos da minha Igreja!
Como posso dizer: Maranata! se os meus ainda estão nas trevas!

quarta-feira, 3 de outubro de 2007

Da Santidade à Hipocrisia - parte 2

Esdras/Neemias deram continuidade ao processo de purificação da nação de Israel.
Deus havia castigado o povo por causa da idolatria e desobediência com o cativeiro:
2 Crônicas 36:13-21 - "Além disso todos os chefes dos sacerdotes e o povo aumentavam cada vez mais a sua infidelidade, seguindo todas as abominações dos gentios; e profanaram a casa do Senhor, que ele tinha santificado para si em Jerusalém. E o Senhor, Deus de seus pais, falou-lhes persistentemente por intermédio de seus mensageiros, porque se compadeceu do seu povo e da sua habitação. Eles, porém, zombavam dos mensageiros de Deus, desprezando as suas palavras e mofando dos seus profetas, até que o furor do Senhor subiu tanto contra o seu povo, que mais nenhum remédio houve. Por isso fez vir sobre eles o rei dos caldeus, o qual matou os seus mancebos à espada, na casa do seu santuário, e não teve piedade nem dos mancebos, nem das donzelas, nem dos velhos nem dos decrépitos; entregou-lhos todos nas mãos. E todos os vasos da casa de Deus, grandes e pequenos, os tesouros da casa do Senhor, e os tesouros do rei e dos seus príncipes, tudo levou para Babilônia. Também queimaram a casa de Deus, derribaram os muros de Jerusalém, queimaram a fogo todos os seus palácios, e destruíram todos os seus vasos preciosos. E aos que escaparam da espada, a esses levou para Babilônia; e se tornaram servos dele e de seus filhos, até o tempo do reino da Pérsia, para se cumprir a palavra do Senhor proferida pela boca de Jeremias, até haver a terra gozado dos seus sábados; pois por todos os dias da desolação repousou, até que os setenta anos se cumpriram ".
O cativeiro curou o povo da idolatria. Deus curou a nação idólatra usando outra nação idólatra.
Comparando o Senhor nosso Deus com os outros deuses qual o resultado? Quem são estes deuses que tentam roubar a adoração ao Deus verdadeiro? São demônios. Quem é o Senhor? Quem é o verdadeiro Deus? É o Deus de Abraão, Isaque e Jacó; é o Deus de Pedro, Tiago e João; é o Deus a quem minha igreja serve; é o Deus de meus pais; é o Deus triúno, Criador dos céus e da Terra. Aleluia!
Com a idolatria curada, faltava a obediência. Esdras/Neemias assim o fizeram. O ponto culminante no processo foi a expulsão das mulheres estrangeiras:
Esdras 10:2-4 - "Então Seeanias, filho de Jeiel, um dos filhos de Elão, dirigiu-se a Esdras, dizendo: Nós temos sido infiéis para com o nosso Deus, e casamos com mulheres estrangeiras dentre os povos da terra; contudo, no tocante a isto, ainda há esperança para Israel. Agora, pois, façamos um pacto com o nosso Deus, de que despediremos todas as mulheres e os que delas são nascidos, conforme o conselho do meu Senhor, e dos que tremem ao mandamento do nosso Deus; e faça-se conforme a lei. Levanta-te; pois a ti pertence este negócio, e nós somos contigo; tem bom ânimo, e faze-o ".
Com a morte desses homens de Deus, Malaquias continuou o processo, falando dos dízimos, primícias e ofertas entre outras coisas.
No período intertestamentário, um grupo de homens continuou a propagar a Santidade ao Senhor iniciada pela dupla dinâmica Esdras/Neemias, os Hasidim.
Hasidim é o plural de uma palavra hebraica que traduzida para o português dá a idéia de pureza. O termo " Hasidim" pode ser traduzido como "Os Puros". Os Hasidim ensinavam o povo no templo e nas sinagogas.
Durante o período de Esdras/Neemias, a Judéia estava dominada pelos medo-persas. Com a vitória de Alexandre o Grande (Alexandre Magno), o domínio passou para os gregos-macedônicos. O império de Alexandre foi rápido. Com sua morte, o império foi dividido entre seus quatro generais: Lisímaco (que ficou com a Ásia Menor), Cassandro (que ficou com a Europa), Ptolomeu (que ficou com a África) e Seleuco (que ficou com o norte da Síria).
Os judeus ficaram sob o domínio dos ptolomeus que foram bondosos com a Judéia. Promoveram a tradução do Antigo Testamento para o grego (versão que ficou conhecida como Septuaginta, ou LXX). Neste período, os hasidim continuaram o papel de ensinar o povo a santidade e a obediência a Deus.
Os selêucidas conquistaram a Palestina dos ptolomeus e passaram a dominar sobre os judeus. Os antíocos (nomenclatura dos reis selêucidas) massacraram o povo judeu e leiloou o sumo sacerdócio. Os hasidim foram massacrados e houve um racha entre eles.
Deram origem a dois grupos distintos: os fariseus e os essênios. Falaremos sobre eles no próximo estudo!
.